Sibipiruna

(CLIQUE NAS FOTOS PARA VISUALIZÁ-LAS EM RESOLUÇÃO MAIOR)

Família das Leguminosas-Cesalpiniáceas

Nome científico: Caesalpinia Peltophoroides, Benth

1) Aspecto Geral:

sibipiruna_1a

sibipiruna_1b

sibipiruna_1c

sibipiruna_1d

2) Floração:

sibipiruna_2a
Vista parcial de um exemplar existente defronte ao Extra, na Rua Antônio Maria Coelho. Trata-se de uma floração temporã.

sibipiruna_2b
O mesmo lado, visto mais de perto.

sibipiruna_2c
Idem, ainda mais aproximado.


Exemplar existente junto à igreja católica da Av. Mato Grosso.

3) Flor:

sibipiruna_3a
Uma característica da floração da sibipiruna é que, no cacho floral, primeiro abrem todas as flores da metade de baixo; depois as da metade de cima.

sibipiruna_3b
Observem que a flor tem 5 pétalas (sendo uma, a menor, labelo), 10 estames e 1 estigma (a pontinha verde).

sibipiruna_3c
Outra flor.

sibipiruna_3d
Uma flor, vista de baixo, mostrando três das 5 sépalas.

4) Fruto:

sibipiruna_4a

sibipiruna_4b
Frutos ainda em formação. As vagens da foto têm de 9 a 11 cm de comprimento, por 2,5 ou 3 de largura.

5) Semente:

sibipiruna_5a

sibipiruna_5b

6) Folhas:

sibipiruna_6a

sibipiruna_6b

7) Tronco:

sibipiruna_7a
Àrvores mais velhas apresentam escamas, como nesta foto.

sibipiruna_7b
Uma árvore mais nova, e portanto sem escamas.

Bibliografia consultada:

  • “Árvores Brasileiras”, de Harri Lorenzi, Ed. Plantarum, 1992, vol. 1, página 148.

122 Respostas to “Sibipiruna”

  1. Leal Says:

    Esta especie realmente é linda de mais, fico sempre encantado quando a vejo. Parabens.
    _____
    DO BLOG: Obrigado, Leal! Mas no futuro espero obter fotos melhores. É que não tenho sibipirunas na minha chácara, e também nunca as vi nos parques da cidade; só em ruas centrais, onde o fotógrafo geralmente não pode trabalhar com a dose necessária de tranqüilidade…

  2. charlote Says:

    e sobre a semente?
    _____
    DO BLOG: Charlote, estou esperando as sibipirunas aqui de Campo Grande amadurecerem as sementes… Vejo muitas dessas árvores, em lugares públicos; porém, ou com floração nova, ou ainda com sementes de florações extemporâneas…

  3. Jornal do Belvedere Says:

    Gostariamos de usar umas das fotos acima, em materia do nosso Jornal. Presisamos de sua autorizaçâo se for Posssivel, nosso site http://www.jornaldobelvedere.com.br.
    Cláudio Peixoto
    _____
    do blog: autorização encaminhada por e-mail.

  4. Rosângela Munhoz Says:

    Ontem a noite um vendaval de 118km/h derrubou uma linda Sibipiruna, fiquei muito triste quando vi aquela grande obra de Deus no chão. Ela atravessou uma rodovia muito movimentada e como um grande acidente, um acidente da natureza, muitos se movimentaram para desbloquear a estrada e muitos outros paravam para tirar fotos daquela gigante no chão
    e todos com muito pesar observavam o movimento de remoção…

  5. Daniel Vasconcelos Says:

    Adorei este “artigo” sobre Sipipuruna, não entendo nada de árvores, estive solicitando a prefeitura de Curitiba o plantio de 02 árvores na área externa de meu sobrado (próximo a calçada). A princípio escolhi a espécie Acácia Imperial (para atender a “exigência” da minha “patrôa” que ama amarelo e gostou muito dos “cachos” da acácia), porém não encontrei para adquirir (tanto através da prefeitura quanto de forma particular), após a visita de um técnico da prefeitura, foi feito uma análise das condições do local e sugerido a Sibipuruna, por este motivo acessei este “artigo” para entender e conhecer um pouco sobre esta espécie, estou convencido de que fiz uma boa escolha(só me preocupa o porte dela que parece ser grande, como não há fiação no local, possívelmente este não seja um problema), quem sabe daqui a alguns “anos” eu não possa estar divulgando algumas fotos da primeira floração (vamos torcer para que dê tudo certo!).

    Abraços…
    _____
    do blog:
    Daniel: os “cachos” da Acácia são realmente muito charmosos. Mas a Sibipiruna é também uma boa escolha. Apenas cuide para que o solo que vai receber as mudas seja, até pelo menos meio metro de profundidade, livre de pedras e entulhos (para que as raízes possam se aprofundar, evitando o mal das árvores urbanas adultas – o tombamento em dias de tempestade). E também deixar, em torno de cada árvore um espaço livre de calçamento, de pelo menos 2 metros quadrados, para infiltração da água da chuva.

  6. Bio Ronchesel Says:

    Tenho uma sibipiruna na calçada e as raizes estão levando o piso, gostaria de saber como são as raizes, se posso cortar parte delas para poder arrumar o piso, será que podem me ajudar?

    obrigado
    _____
    do blog:
    Bio: O fenômeno que você descreveu se deve à insuficiente infiltração da água da chuva no entorno da árvore. Geralmente costuma-se deixar, ao redor do tronco, apenas um quadrado de 0,50 x 0,50 cm sem calçamento. Com isso, a água que infiltra é insuficiente, e as raízes se concentram junto ao tronco ou, sob a calçada, superficialmente. É necessário pelo menos quadruplicar essa área de infiltração.
    No seu caso específico, penso que seria melhor manter as raízes, retirando o concreto ou tijolos que estão sendo levantados (a não ser na parte que é destinada à passagem de pedestres, onde as raízes, em último caso, poderão ser cortadas parcialmente). Assim, a área de infiltração aumentará e, no futuro, novas raízes poderão se aprofundar no solo.

  7. linda Says:

    eu podei a minha sibi em maio e agora ja estou em dezembro e ela só cresceu umpouquinho sera que podei errado preciso de orientacao 1dez2008 florianopolis
    _____
    do blog:
    Linda: Quanto a podas, o ideal seria podar apenas galhos secos ou com sinais de doença. Mas creio que uma poda maior não causará grande prejuízo à árvore. Sibipiruna se recupera facilmente. No seu caso, talvez o excesso de umidade dos últimos meses tenha atrasado o ciclo natural dessa árvore…

  8. Andre Says:

    Olá! Stei seu blog como referência
    para quem quisesse conhecer melhor
    essas belas árvores! Dê uma passadinha
    lá, qdo tiver um tempinho:

    http://www.plante-arvores.blogspot.com/

    Abraços.
    _____

    Ok, André. Obrigado. Já acessei o seu blog, gostei e voltarei sempre. Boa sorte.

  9. Luiz Frederico B. da Rocha Says:

    Muito bem. Dá prazer ver fotos como estas.

  10. Adolfo Roriz Says:

    Fiz um projeto paisagístico e introduzi uma sibipiruna na área externa com um afastamento de 2.80m do passeio. Ela servirá não só para oferecer sombra a área de uma garagem, mas também para embelezar a rua, servir de pouso para uma grande variedade de pássaros existentes na área e amenizar os efeitos negativos do poente sobre o imóvel. Transcorridos 18 meses a árvore está com apenas 1.80m de altura e tem se desenvolvido muito lentamente. Sua plantação se deu através de uma cava com 0,80×0,80 e 0,60m de profundidade. O que está acontecendo? Qual o adubo mais adequado para um crescimento mais rápido?
    _____
    resposta do blog:
    Adolfo: Infelizmente aqui no Brasil não se faz pesquisas para melhoramento genético de espécies arbóreas (tal como se faz, em outros países, com eucaliptos, pinheiros e outros). A Sibipiruna tem mesmo essa característica de crescimento lento (ao contrário, por exemplo, do Flamboyant e da Leucena). Geralmente não é preciso preocupar-se com adubação porque a Sibipiruna, como leguminosa, adapta-se bem a qualquer terreno. Veja se a árvore está recebendo irrigação suficiente pela água da chuva. Deve haver em torno da planta uma boa área de infiltração (quanto maior, melhor, mas no mínimo uns 2 metros quadrados de área não-calçada, que pode ser redonda, quadrada ou constituindo um comprido retângulo)…

  11. Paula Says:

    Adorei o Blog!
    Amo Sibipirunas, vou plantar e mudas na frente do meu prédio!!
    Abraços

  12. niki Says:

    Tenho uma sibipiruna em meu jardim há cerca de 15 anos. Ela já floreceu inumeras vezes, mas nos dois últimos anos não apareceu flor alguma. Isto é normal com esta espécie?
    _____
    Niki: o normal é florescer pelo menos uma vez por ano. Tenho uma sibipiruna em minha chácara que também não tem florescido; mas é que ela está sombreada por um bambuzal. Talvez seja esse o caso da sua sibipiruna: sombreamento. Verifique também se há, ao redor do tronco, uma boa área para infiltração da água da chuva (o mínimo seria de 2 metros quadrados, sob qualquer formato – redondo, quadrado ou comprido).

  13. ana Says:

    Na minha escola tem muitas arvores sibipiruna grandes e fortes
    _____
    do blog:
    Que bom, Ana! Essa árvore, além de bonita (e com uma linda floração), dá boa sombra.

  14. Felipe Says:

    Estou coordenando a arborização de um colégio que não possui árvores e, por isso, tem salas muito quentes.
    Pensei no pau-brasil, jotobá, ipes-roxo, copaiba, sibipiruna e alecrim. Como não tenho muita noção sobre o crescimento dessas árvores gostaria de obter desse site se a sibipiruna tem um crescimento equivalente às demais espécies citadas.
    _____
    resposta do blog:
    Felipe:
    Das espécies citadas, e sempre de acordo com o livro de Harri Lorenzi, “Árvores Brasileiras” (Editora Plantarum), a Sibipiruna e o Pau-Brasil vão atingir altura menor e diâmetro do tronco menor do que as outras, tudo dependendo da fertilidade e condições físicas (presença ou ausência de entulhos de construção, por exemplo) do solo.
    Eis os dados, por espécie: Pau-Brasil: altura pode chegar de 8 a 12 metros; diâmetro do tronco, de 40 a 70 cm; Jatobá (de 15 a 20 m, diâmetro de até 100 cm); Ipê-Roxo (Tabebuia Avellanedae; de 20 a 35 m, e de 60 a 80 cm); Copaíba (de 10 a 15 m, e de 50 a 80 cm); Sibipiruna (de 8 a 16 m, e de 30 a 40 cm); e Alecrim (de 15 a 25 m, e de 50 a 80 cm de diâmetro).

  15. José Marcos Says:

    Prezados,
    inicialmente quero parabenizá-los pelo site, muito bem construído e com informações relevantes. Estou pensando em plantar duas mudas de sibipiruna em uma parte do meu terreno que é razoavelmente inclinada (cerca de 40% de inclinação) e próxima à minha casa. Gostaria de saber se a sibipiruna, quando adulta, se enraiza de forma a não correr o risco de cair sobre a minha casa.
    Obrigado pela atenção!

    José Marcos
    _____
    resposta do blog:
    José Marcos:

    O problema do talude a que você se refere é a absorção da água da chuva. Se você simplesmente plantar as duas mudas no terreno, provavalmente vai acontecer como nas fotos a seguir (clique aqui, aqui e aqui ). Neste caso, trata-se de árvores da espécie Ficus benjamina. Quase toda a água da chuva escorre, infiltrando-se apenas nos primeiros centímetros de solo; as raízes não conseguem se aprofundar, pois em profundidade maior não há umidade. Ventos muito fortes podem derrubar alguma ou várias dessas árvores.

    Para que, no caso, as raízes se aprofundem no solo, é necessário fazer vários “pontos de absorção” de água. Poderia ser, por exemplo, uma mureta contínua (ou muretas contornando os troncos em meia lua) de tijolos ou mesmo de terra (neste caso, com manutenção periódica para compensar esboroamentos). Essas linhas ou diques reteriam boa parte da água da chuva, e essa água retida infitraria no solo, propiciando condições para o aprofundamento das raízes. E raízes mais profundas e bem esparsas seguram a árvore, impedindo seu tombamento.

    É preciso evitar, também, o encharcamento do terreno (solo muito afrouxado, árvore pode tombar). Se no alto do talude existir uma parede, por exemplo, haverá para a área uma pluviometria talvez dobrada (a do seu terreno e a que iria cair em parte do terreno vizinho); nesse caso, seria necessário providenciar “saída” para a água interceptada pela parede..

    Verifique se o talude é formado realmente por solo agricultável (terra comum), e não por entulhos de construção (neste caso, não é recomendável o plantio das sibipirunas).

    Não esqueça que o ideal é que ao redor de cada árvore haja solo livre de calçamentos, em área igual à projetada pela sombra da planta adulta ao meio dia. Ideal, mas pode ser área menor, com pelo menos 2 metros quadrados para sibipirunas. Veja esta foto (clique aqui), onde a árvore se encontra em risco, pois a área livre de calçada é pequena para a espécie – uma figueira quase centenária.

    Alguma dúvida, avise!

  16. Pedro Says:

    Essas fotos que vooce mostrou para José Marcos http://timblindim.files.wordpress.com/2009/05/arvore_em_talude_01.jpg?w=900 , http://timblindim.files.wordpress.com/2009/05/arvore_em_talude_02.jpg?w=900 e http://timblindim.files.wordpress.com/2009/05/arvore_em_talude_03.jpg?w=900 .
    vooce disse que são Oitis.mais na verdade são Ficus, olha as raízes..as oitis não tem tantas raízes assim, e lhe as folhas, pequenas, verde escuro.e olhe a arvore que esta lá atrás das ficus.e compara.aquela é oiti.
    _____
    do blog:
    Pedro: obrigado pela observação. Tem razão: são árvores da espécie Ficus benjamina, originárias do sudeste asiático. Já fiz a correção no comentário anterior…

  17. ADQUIRA SIBIPIRUNA Says:

    Vc que deseja adquirir uma muda de SIBIPIRUNA encontre em buritama-sp ou pelo fone 18 9104-7550 / 18 3691-2365 André por apenas 2 reais cada

  18. Costa Filho Says:

    Parabens!
    Uma linda sibipiruna super carregada de vargens numa praça de minha cidade, gostaria de saber como devo reproduzir a especie pela cidade
    como: quebra de dormencia, solo, adubação etc.
    _____
    Costa Filho: A Sibipiruna, como todas, ou quase todas, as leguminosas, se dá bem em qualquer tipo de solo, mesmo os mais fracos. Cuide apenas para que o solo onde ela será plantada contenha realmente solo, e não entulhos de construção, e cuide para que em torno da árvore fiquem pelo menos 2 metros quadrados de área não calçada, espaço para a infiltração de água da chuva. As sementes dessa árvore não têm dormência.
    Para fazer as mudas, pegue caixinhas de leite longa vida; corte a parte de cima, e corte as 4 pontas da parte de baixo. Preencha com uma mistura de terra e humus ou esterco curtido. Semeia duas ou três sementes em cada embalagem (pode ser que nem todas germinem), deixando, no futuro, apenas 1 muda. Mantenha a mistura terra-humus úmida, sem enxarcamento. As sementes devem brotar dentro de 10 ou 15 dias. Com 4 ou 5 meses as mudas já podem ser plantadas no local definitivo.
    As sementes devem ser semeadas logo depois de colhidas, ocorrendo a colheita quando as vagens começarem a abrir e a expulsar as sementes.

  19. marcelo Says:

    coloquei terra no tronco da subpuruna e de eucalipto com 1m de altura, ssera que vão enraizar ou vai apodrecer
    _____
    do blog:
    Não entendi porque você fez isso. Pode explicar qual foi o objetivo?

  20. Adélia Guedes Says:

    Possuo uma sibipiruna nativa em meu terreno. Já estava aqui quando construi, por no minimo 30 anos, não estou certa. Maravilhosa, manteve-se normal até mais ou menos 1 ano, quando começou a perder folhas. Ficou pelada, com semetes ainda nos galhos, muita casca no tronco. Não tive coragem de cortá-la, nem de considerá-la morta, e até o momento olho para ela e não acredito que ficou deste jeito. Não parece em nada com a maravilha que era, com sua copa que chegou a 40 m de diam. Ela tem 14m de altura. Durante a obra ela recebeu terra em torno do caule, cobrindo-o em 1m de altura. Achamos que ela sofreria, ficamos preocupados, mas ela não deu sinais de sofrimento. Permaneceu belíssima por 3 anos, e não sabemos o que foi que a deixou no estado em que está. Não encontramos sinais de envenenamento, não percebemos pragas, os galhos da periferia estão com cerne ainda verde…gostaria de poder salvá-la. Vcs sabem de um modo?
    _____
    resposta do blog:
    Adélia:
    Aqui em Campo Grande passo sempre pela Avenida das Bandeiras, e constatei que existem 6 ou 7 Sibipirunas “secas”; uma delas dia destes rebrotou em um dos galhos laterais. Observei que todas elas tem pouca ou nenhuma área de infiltração da água da chuva; o espaço em volta do tronco está todo cimentado, e a água da chuva só infiltra no solo pelas rachaduras da calçada. Verifique se não é o caso da sua árvore. O ideal é que em torno do tronco haja uma área gramada ou acanteirada de pelo menos 2 metros quadrados, e que a água que cai na calçada se direcione em parte para aquela área gramada.
    Você não indicou a cidade onde mora, mas se a área de infiltração estiver OK, uma alternativa seria procurar professores ou universitários do curso de Botânica ou Biologia; poderia ser um material de estudo para eles, e talvez conseguissem salvar o exemplar…

  21. mcelia Says:

    parabéns, fez uma linda apresentação eu chamo estas flores de canarinhos pousados …. são lindas….mceliaxa

  22. Marcelo Says:

    Sou biologo, trabalho na prefeitura no Departamento de Meio Ambiente, e estou sendo responsavel por emitir autorizaçoes de corte de arvores urbanas. Ha algumas especies de maior porte, plantadas ha mais de 30 anos que hoje estao provocando danos nas calçadas (trincas e rachaduras). Uma delas ´e a sibipiruna. Como ambientalista, fico extremamente constragido de ser o algoz desta bela especie. Evito ao maximo as autorizaçoes. Pergunta1: O corte das raizes que levantaram a calçada aliado ao aumento da area permeavel ao redor do colo seria suficiente medida para impedir novas rachaduras, e desta forma salvar a arvore? Pergunta2: como especie pioneira, a sibipiruna de uns 35 anos de idade pode estar velha?Qual sua longevidadfe? Obrigado e parabens pelo bom gosto…
    _____
    do blog:
    Obrigado pelas palavras, Marcelo.
    Quanto às questões:
    1. Sim, essas medidas serão suficientes, desde que o solo ao redor da árvore seja normal, e não, como acontece às vezes, composto por entulhos de construções.
    Melhor ainda se a área permeável ao redor do tronco, além de aumentada, ficar em nível mais baixo do que a parte calçada, e esta se inclinar levemente para essa área permeável. Assim, com as chuvas, haverá uma inundação momentânea do espaço livre (entre a calçada e a guia/sarjeta), e a água se infiltrará em várias direções, formando um círculo úmido, um pouco mais profundo, ao redor do tronco.
    2. Com 35 anos a Sibipiruna é apenas uma árvore adulta. Leitores nos informaram de Sibipirunas com mais de 70 anos. Aqui em Campo Grande temos muitas com pelo menos 50 anos. Em condições ideais creio que poderá chegar aos 100 anos.

  23. André Moraes Says:

    Olá Marcelo!

    Consultei Isabelle Meunier, que é engenheira florestal e prof. da Universidade Federal Rural de Pernambuco e ela gentilmente me enviou a resposta abaixo.

    André e Marcelo:
    O corte de raízes superficiais é uma prática perigosa: sabe-se o que se
    está cortando, mas se desconhece o que ainda restou embaixo. Essas
    raizes superficiais são sempre estruturais, ou sejam, servem ao
    equilíbrio e à sustentação da árvore. Cortá-las pode prejudicar
    seriamente a segurança das árvores e das pessoas. Não recrimino /a
    priori/ quem faz corte de raízes com habilidade e conhecimento, mas eu
    jamais ousaria fazê-lo (a não ser pontas finas de raízes claramente não
    estruturais). Já quanto ao aumento da área livre, isso sim é uma boa
    medida: as calçadas são quebradas, via de regra, porque avançam na área
    que deveria ser da árvore, e a reconstituição dessa área, com remoção de
    calçamento, pode ser uma boa alternativa (mas é preciso ver toda a
    questão de acessibilidade, etc, etc..). Quanto a senilidade precoce da
    sibipiruna, não terminamos de sistematizar um estudo, mas o fato já nos
    chamou atenção. É uma espécie que reage muito mal ao corte de galhos
    médios e grossos, simplesmente não cicatriza por algum motivo
    desconhecido. Isso acaba criando grandes orifícios e a perda de parte
    expressiva do cerne, levando a árvore à morte muito facilmente. Há
    algumas sibipirunas em Recife cuja data de plantio é conhecida (1937) já
    com fortes sinais de senilidade, o que eu já consideraria precoce mas
    que é esperado diante do estress do ambiente urbano: poluição, mudanças
    na exposição à luz como resultado de novas construções, agressões,
    podas, etc. Por outro lado, encontramos prováveis sessentonas em pleno
    vigor.
    30 anos é realmente muito pouco tempo para uma árvore com as
    caracteristicas da sibipiruna. “Salvo melhor juízo”, não considero a
    espécie como pioneira nem conheço bibliografia que o faça, mas sim como
    secundária (alguns a classificam como secundária tardia). De qualquer
    forma, essa classificação vem sendo muito melhorada recentemente, não
    merecendo longas discussões a respeito. O fato é que sinais de
    senilidade aos 30 anos devem ser resultado de agressões, inadaptação
    local do plantio, carências nutribcionais ou stress urbano (poluição,
    podas, etc..).
    um abraço
    Isabelle
    _____
    do blog:
    André:
    A dra. Isabelle realmente arrasou. Ótimas informações para todos nós.

  24. Marcelo Says:

    André e Dra. Isabelle, fico grato pelas informações.
    Um abraço.

  25. Ana Lúcia Says:

    Olá, parabéns pelo seu blog!

    Um Pau – brasil de aprox 04 mts rachou com o vento e a cliente pediu p o caseiro amarrar faz uns 02 meses, ele brotou normal , mas tenho dúvidas quanto a cicatrização.Poderia me ajudar na informação. Obrigada.
    _____
    do blog:
    Ana Lúcia:
    Este é um caso bastante incomum. Como a árvore é jovem, é possível que os tecidos do tronco, principalmente os do cerne, se recomponham. Se isto acontecer, a cicatrização externa também vai ocorrer. É esperar para ver. Em todo caso, seria bom fazer uma “tala” (amarrio de um pedaço de madeira) para manter as partes do tronco firmemente juntapostas…

  26. Ana Lúcia Says:

    Agradeço a atenção! Otima semana a todos!

  27. Dailiany Says:

    Olá, sou graduanda em Biologia e notei que as sibipirunas aqui do Campus exibiram um comportamento estranho em relação as outras árvores, estavam liberando uma quantidade muito grande de água, não era orvalho, pois mesmo a tarde com o sol forte o chão embaixo delas ficava com poças d’água. Essa semana observei que a eliminação de água cessou e as flores apareceram. Gostaria de saber o que aconteceu, se há relação entre a eliminação e o surgimento das flores.

    Muito obrigada, e adorei o blog, muito lindo!!!
    _____
    do blog:
    Dailiany:
    Esse “comportamento” inusual das Sibipirunas deve estar ligado a algum encharcamento do solo ou subsolo do local. Provavelmente a água subia por vasocapilaridade, aproveitando frestas inertes existentes no interior do tronco. Não acredito que haja relação entre o cessar do gotejo e a floração. Acho que a floração normal, seguindo o fenômeno, indica que este não era um processo biológico, mas sim, meramente físico, já que não interferiu na agenda habitual da planta (aqui em Campo Grande, elas estão todas floridas).
    Não sei de que cidade você é, mas foi noticiado em Maringá – PR, em dezembro de 2008, fato semelhante – com a água apresentando-se salgada… e gelada.
    Seria bom consultar a companhia de águas para ver se não foi detectado algum grande vazamento próximo do local…

  28. Dailiany Says:

    Hum, perdão, eu sou de São Paulo, Zona Sul, mas pq o comportamente só seria apresentado pelas sibipirunas, se há muitas árvores próximas a ela?

    Obrigada!
    _____
    do blog:
    Boa pergunta, Dailiany! Seria preciso cortar transversalmente os troncos dessas árvores para ver a sua estrutura e conferir se há mesmo as tais frestas inertes. Mas isto seria uma prática desastrosa. Assim, tudo são especulações; engenheiros florestais talvez tenham informações melhores sobre o assunto.
    De nossa parte, apenas não acreditamos em milagre. Esse seria um milagre pobre, decepcionante, diante do milagre maior da belíssima floração e das belíssimas flores dessa árvore…

  29. marco antonio Says:

    ola, gostaria de saber se voce pode me ajudar, tenho uma sibipiruna que acabou de florescer e de se encher com folhas novas depois daquela queda habitual no inverno, mas agora esta acontecendo algo estranho junto com a queda das flores estao caindo todas as folhas verde novas, é algum tipo de doença?
    _____
    do blog:
    Marco Antonio: acho que não se trata de doença; esta, geralmente causada por fungos, faz as folhas novas engruvinharem (palavra emprestada do gauchês), ou ficarem escuras, ou secarem, ou mancharem. Dê uma olhada à noite e veja se não há formigas cortadeiras (saúvas ou quenquéns) subindo no tronco. Nunca vi, mas pode ocorrer que pássaros (periquitos fazem isto, por exemplo, com o Vinhático), procurando o que comer, estraguem também as folhas. Se descobrir o problema, gostaria que você informasse…

  30. Silvana iovine Says:

    Ola, eu tenho varias sibipiruna na minha casa, mas uma delas apresenta
    uma espuma branca e pinga no chão um liquido, o que seria isso? Um Fungo? O que devo fazer? Obrigada pela atenção.
    _____
    do blog:
    Silvana: é mais provável que seja pela ação de algum inseto. Limpe a área com jatos de água e veja se resolve…

  31. Roberto Says:

    Adoro árvores, principalmente as que dão flores, moro aqui em Cotia, grande São Paulo, tem muitas Sibipirunas centenárias plantadas aqui, aproveitando a floração delas, passei de baixo de algumas delas e peguei algumas semnetes para plantar em vasos, para depois plantar por ai, e propagar mais ainda essa árvore bélissima, algumas dúvidas: qual o tempo de germinação delas??? ela é de crescimento rápido ou lento?????? ela gosta de muita água, ou prefere um solo mais seco? deixo os vasos na sombra ou deixo um meio termo….
    abraço a todos
    _____
    do blog:
    Roberto:
    De acordo com Harri Lorenzi, em seu livro “Árvores Brasileiras”, vol. 1, pág. 164, a germinação das sementes de Sibipiruna ocorre entre 10 e 25 dias. “O desenvolvimento das mudas é rápido, ficando prontas para o plantio no local definitivo em 4-5 meses”. A planta não exige solo especial. Quanto às suas necessidades de água, antes da emergência regar uma ou duas vezes por dia, com cuidado para não movimentar as sementes; nos 4 ou 5 meses seguintes, providenciar para que a terra do vaso não fique seca; ao plantar no local definitivo, cuide para que haja ao seu redor espaço e condições (um murundu em circunferência para reter a água dentro do círculo) para um bom aproveitamento da chuva. Como as sementes das demais plantas, as da Sibipiruna têm uma taxa média de germinação; ainda de acordo com Harri Lorenzi, essa taxa é de 60%. Assim, plante 10 sementes se quiser obter 6 mudas. Mas essa taxa pode variar em cada caso particular, para mais ou para menos…

  32. Roberto Says:

    Obrigado pessoal pela dica, já plantei minhas Sibipirunas, estou esperando a germinação, plantei dia 5/10/09, qualquer resultado mantenho informado, espero que germinem, assim como um Guapuruvú, que plantei em maio agora, em cinco meses, ela já atingiu 40cm, nossa como cresce rápido, colhi também algumas sementes de Jacarandá Mimoso, sei que não é nativa do Brasil, mas ela é linda, e estou providenciando uns vasos para plantar.

    Abraços

  33. ingrid letzow Says:

    gostaria de saber se a sibipiruna é uma arvore que pode ser plantada na praia litoral de sc e se pode ser plantada nesta epoca abraço ingrid.
    _____
    do blog:
    Ingrid: não temos informações sobre presença de Sibipirunas em praias. Quanto ao clima de SC, cremos que não haverá restrições. Quanto ao plantio das mudas, cremos que agora, no início do verão, seria a época ideal para SC.

  34. Tarcisio Lemos Says:

    Gostaria de saber o nome de algumas árvores das ruas de minha cidade. Fiz fotos. Tem algum site para onde posso encaminhá-las para identificação (principalmente nome popular)? Grato
    _____
    do blog:
    Tarcisio:
    Qualquer site ou blog que ame plantas ficará honrado com a possibilidade de “dar uma mãozinha”. No caso deste blog, você poderia mandar as fotos, como anexo do e-mail, para valmar@top.com.br . Mas é importante mostrar detalhes, principalmente flores (close-up), frutos e/ou folhas… E não esqueça de informar a cidade e estado onde você reside, pois pelo e-mail não é possível identificar. Já houve casos, aqui, que nós pudemos identificar a árvore (caso Açoita-Cavalo); e já houve casos em que não pudemos (e talvez outro site ou blog tenha tido mais sucesso)…

  35. geraldamleandro Says:

    Pessoal eu odeio a sibipiruna. Tenho 2 em minha casa. Oque elas fazem de sujeira n é brincadeira. Elas se revezam na derrubada de folhinhas . Entopem ralo. Precisa varrer varias vezes ao dia qdo caem as sementes .e perigo vc escorregar…e por ai vai . Adoro palntas mas gostaria de dar um fim nas duas. A prefeitura n autoriza nem a poda

  36. André Moraes Says:

    .
    Isso só pode ser gozação, né?
    .
    _____
    do blog:
    Acho que não, André. Há muita gente (talvez a maioria) que acha que a vida tem um lado “bom” e um lado “ruim”, e passam a vida toda tentando desviar das coisas “ruins” (folhas caídas, poeira, sinais de trânsito, “essa gente”). Na verdade, e considerando Konrad Lorenz, se na vida humana só houvesse “coisas boas”, não haveria vida humana: acabaríamos morrendo todos de inanição…

  37. Carmen Says:

    Temos uma sibipiruna linda, de uns 25 anos, no nosso quintal, que está plantada numa área de uns 3 metros de diâmetro, mas com as chuvas frequentes, estamos preocupados com a situação da árvore. Como podemos saber se há risco de queda da árvore? há algum sinal (aviso) ? Agradeço antecipadamente a quem puder me orientar.
    _____
    resposta do blog:

    Carmen:

    1. Pela nossa interpretação, árvores tombam quando há um desequilíbrio entre a área ocupada pela copa e a área (solo adentro) ocupada pelas raízes. Numa árvore saudável, quando os galhos se afastam 2 metros do tronco, por exemplo, é provável que as raízes também se afastem 2 metros do tronco, solo adentro (uma “radiografia” da árvore toda mostraria um perfil de ampulheta).

    2. Geralmente, nos passeios das cidades brasileiras, é deixada, em torno do tronco das árvores, uma minúscula área não-calçada (é muito comum um quadrado de meio metro por meio metro, ou seja, 0,25 m2). Assim, só por essa área a água da chuva pode infiltrar no solo (o resto escoa pela rua, indo causar inundações nas baixadas). É claro que infiltra uma quantidade muito pequena de água, de tal forma que a área de solo úmido, em torno do tronco, não vai muito além dos limites do tal quadrado. Conclusão: as raízes não se expandem pelo solo, engrossando anormalmente e concentrando-se em torno do tronco, único lugar onde há umidade. Se tirássemos uma radiografia do perfil, veríamos algo com o formato de um ramalhete de flores: muita copa, pouca base de sustentação. Nesse caso, a árvore vai tombar quando houver uma chuva com ventos fortes.

    3. Uma árvore saudável e sem perigo de tombar é aquela cujo tronco se aprofunda abruptamente no solo, sem raízes à mostra. Uma situação assim mostra que as raízes se desenvolvem normalmente, espalhando-se por uma área, no solo, equivalente ao diâmetro da copa. Se a área, em torno da sua Sibipiruna (3 m de diâmetro, ou mais de 7 metros quadrados, excelente) não estiver calçada, é muito provável que a sua árvore esteja saudável e portanto sem oferecer risco de tombar.

    4. Outra situação que faz com que as raízes não se aprofundem e, embora se afastem do tronco, fiquem expostas, é aquela em que a árvore fica numa espécie de “morrinho”: a água da chuva não se espalha lentamente, como faria numa superfície horizontal ou superfície com perfil de bacia (ou mesmo cheia de pequenas “bacias” ou depressões); a água da chuva, nesse caso de “morrinho”, escoa rapidamente para longe do tronco da árvore. Assim, o solo em torno da planta absorve pouca umidade, toda ela concentrada na camada superior. Dez centímetros abaixo o solo continua seco, e portanto inóspito para o trânsito de raízes.

  38. caroline mota Says:

    estou plantando uma sibipiruna em minha casa, qual o tamanho médio que ela atinge em um ano, quando plantei ela tinha um metro e meio.
    _____
    do blog:

    Caroline:

    Conforme Harri Lorenzi, em “Árvores Brasileiras”, vol. 1, em geral uma Sibipiruna atinge a altura de 3 metros com 2 anos de idade. Pode-se concluir (com a ressalva de que há variações de planta para planta, devido a fatores de solo, clima e manejo) que dentro de 1 ano a sua planta já deverá dobrar a altura atual.

  39. Marcelo Pereira Says:

    Temos uma arvore sipipiruna de porte medio com idade de mais ou menos uns 6 anos e recentemente apareceu uns pequenos insetos que picam e da muita coceira. Minha pergunta é se existe aguma maneira de combater ou amenizar essa situação.

    Ficaria muito agradecido por uma resposta.
    Obrigado,

    Marcelo Pereira
    _____
    resposta do blog:

    Marcelo:

    Geralmente árvores são atacadas por pulgões, cochonilhas, “marias-fedidas” (um tipo de percevejo), que aparecem em grande número. Grilos e gafanhotos geralmente aparecem individualmente. Bom, pulgões e cochonilhas não “atacam” pessoas; assim, no caso, se for algum tipo de percevejo, além da solução mais fácil (aspergir um inseticida comum), você pode aspergir uma solução de calda de fumo (um saquinho de fumo desfiado, encontrável em Mercados, posto para desmanchar à temperatura ambiente, por 24 horas, em 2 litros de água; depois, coar, obtendo a calda).

    Ajudaria se você pudesse mandar uma foto (obtida com a função “macro” da sua câmera) como anexo de e-mail enviado para valmar@top.com.br

  40. Felykso Says:

    Parabéns pelo site, até o ano passado não entendia nada de árvores, agora na faculdade, estou tendo aulas de botânica, e tenho uma pesquisa para fazer sobre sibipirunas, agradeço porque obtive importantes informações neste site sobre a árvore e estou cada vez mais interessado no assunto.
    _____
    do blog:

    Obrigado, Felykso, pelas palavras de incentivo!

  41. Lara Says:

    Olá,
    estou pesquisando sobre árvores para minha casa (em construção), penso na sibipiruna pois quero uma árvore com caule alto e copa robusta (para amenizar o sol da tarde que é inclemente à frente do meu lote). Minha dúvida é: quero plantar uma na calçada (traquilo) e outra dentro do lote… na frente, ao lado do passeio da garagem. A frente é de 5 metrosm e já começa a casa… será que vai ficar tumultuado demais??? Abraços, o site é incrível!!

    AH.. outra pergunta importante: QUAL A DISTÂNCIA ideal entre uma sibipiruna e outra???

    E a distância ideal entre uma sibipiruna e outra árvore como, por exemplo, um abacateiro?? Combinam as duas árvores, pois quero colocá-las lado a lado em meu quintal da frente.

    AMO AS ÁRVORES!!!!
    _____
    palpite do blog:

    Lara:

    Para uma avaliação melhor, precisaríamos saber a largura do lote, bem como a largura do passeio público. Mas, genericamente:

    1. A Sibipiruna vai demorar algumas décadas antes de atingir a sua expansão máxima, que poderíamos, no chutômetro (seria necessário um estudo ou tese), representar por uma copa (e portanto sombreamento) circular, com 10 metros de diâmetro.
    2. A Sibipiruna, como outras árvores, inclusive o Abacateiro, podem se adaptar a árvores vizinhas, e trocar uma copa em forma de bola de futebol por uma copa mais estreita, meio achatada de um dos lados.
    3. Seria interessante, para evitar problemas, manter as árvores o mais longe possível das casas vizinhas.
    4. Separando, num dos lados do terreno, uma faixa de 3 metros de largura, para a circulação do veículo, se o terreno tiver 10 m de largura, uma das árvores poderia ser plantada junto à faixa do carro e a outra a 4 m de distância, ou 3 m da divisa. Se o terreno for mais largo, aumentar proporcionalmente as distâncias entre-árvores e entre uma das árvores e o vizinho. Se o terreno tiver largura menor, ver se é possível manter pelo menos a distância de 3 m até a divisa com o lote vizinho, e 3 m com a outra árvore.

  42. Gisleine Says:

    Tenho um abacateiro em crescimento e preciso do espaço para construir uma varanda. Alguém pode me dizer como construir com ele dentro, quais os cuidados e manutenção que essa empreitada requer?
    Gratissima pela ajuda.
    _____
    do blog:

    Se algum leitor tiver alguma idéia, ou experiência nessa empreitada, favor informar.

    Enquanto isto, Gisleine, aqui vão algumas dicas:

    Se os primeiros galhos que saem do tronco do abacateiro estiverem acima do nível que o telhado alcançará:

    1. Será deixada, claro, uma abertura no telhado. Pode ser quadrada ou retangular. Na parte do telhado acima da abertura, instalar pequena calha que desvie o fluxo da água da chuva para as laterais (para impedir que uma pequena enxurrada invada a área). Essa pequena calha vai exigir limpeza periódica.
    2. Na base da árvore, construir uma mureta de tijolos, redonda ou quadrada, para delimitar a porção do solo que receberá irrigação (natural, com a água da chuva escorrendo pelo tronco, ou resultante de rega, quando se perceber que o solo não tem umidade suficiente).
    3. Essa área delimitada não deve ser “colada” ao tronco; deixar pelo menos uma faixa de 20 centímetros de largura em torno dele.

    Se os primeiros galhos estão mais baixos, digamos a 2 metros do solo, o jeito seria podar alguns galhos, de forma que o desenvolvimento da planta passe a se fazer pelos galhos mais altos, acima do telhado.

    Se o alto da copa da árvore ainda não chegou à altura do futuro telhado, o único jeito seria instalar algumas telhas transparentes ou translúcidas, deixando, no centro delas uma abertura natural (talvez de 60 x 60 cm) para que uma parte da galhada saia por ali e, com o correr dos anos, forme copa externa à varanda. Em volta do tronco, a mesma mureta descrita acima, com pelo menos 60 cm de diâmetro.

    Curiosidade: clique aqui para ver uma árvore, não dentro de uma varanda, mas dentro de uma casa (daí os exageros na vedação dos espaços em torno do tronco e galhos).

  43. Marilia Says:

    Tem uma arvore Sibipiruna dentro do meu quintal, ela já estava quando mudei para essa casa pois não sei quanto tempo ela existe, mas pelas informações ela já é antiga.
    Estou observando que ela está com cupim em alguns troncos.
    Gostaria de saber devo sacrifica-la ou posso cortar só os troncos que esta com cupim.
    Também preciso de sugestões quanto qual remédio devo usar.
    muito obrigado por enquanto
    _____
    resposta do blog:

    Marilia:

    Casas que vendem produtos da agro-pecuária, e mesmo supermercados maiores, têm inseticidas próprios para combater cupins, ou cupinicidas. Quebre um lado da “casa” dos cupins e aspirja o líquido. Eliminados os cupins, limpe a área onde estava a “casa”. Provavelmente o galho ou a junção galho-tronco estarão pouco afetados e não será preciso cortá-los (a árvore vai se recuperar sozinha)…

  44. Haissa kataoka Says:

    Boa Noite
    gostaria de saber onde posso encontar semente de sibipiruna de boa qualidade!!
    obrigado
    aguardo resposta
    _____
    resposta do blog:

    Haissa:

    Há várias empresas vendendo sementes (ou kits de sementes) pela Internet. Há, por exemplo, o sítio da AJA (clique aqui), do qual já comprei um kit (mas ainda não testei a germinabilidade das sementes). Num kit de 15 árvores, consta também a Sibipiruna.

    Mas sementes, quanto mais tempo armazenadas (excluída, talvez, a fase em que ela está já acondicionada em embalagem de alumínio), mais diminui a taxa de germinação. Assim, o ideal seria você colher as sementes direto da árvore, tão logo elas sejam expelidas da vagem, ou mesmo estando prestes a serem expelidas. E semeá-las em seguida. Sibipiruna é uma árvore muito comum em qualquer ponto do Brasil.

  45. MARIA LUIZA RIBEIRO Says:

    TENHO ALGUMAS SEMENTES DE PAU BRASIL E GOSTARIA DE PLANTAR EM MINHA CHACARA COMO PLANTO E QUAL SUBSTRATO É BOM
    _____
    do blog:

    Maria Luiza:

    1. Use saquinhos plásticos pretos ou caixas de leite longavida para fazer as mudas. Coloque nos recipientes terra comum peneirada, aí da chácara, se quiser misture um pouco de esterco curtido ou humus.
    2. Coloque uma ou duas sementes em cada embalagem, cobrindo-as levemente com a mesma terra peneirada.
    3. Umedeça bem todo o substrato, e mantenha-o sempre úmido (sem enxarcamento). Se preciso regue todo dia ou até 2 vezes por dia.
    4. A emergência deve ocorrer entre 8 e 15 dias. E a muda deverá estar pronta para plantio no local definitivo em 5 meses (segundo Harri Lorenzi, em seu livro “Árvores Brasileiras”).

  46. germano Says:

    tenho uma Sibipiruna , mas ela esta com cupim ,e tambem suspeito que tenham colocado (veneno ) porque ela incomoda,ela esta na calçada .
    Como posso salva-la?
    _____
    resposta do blog:

    Germano:

    Quanto aos cupins, derrube a “casa” deles e depois jogue inseticida comum (sbp, detefon, etc.) para matá-los e impedir que se reinstalem.
    Se as raízes da árvore estão muito grossas junto ao tronco, levantando a calçada, libere um espaço maior (tire alguns blocos de cimento) para que a água da chuva infiltre em maior quantidade no solo em redor da árvore.

  47. Bartira Says:

    Olá, preciso de uma arvore com crescimento rápido e com copa frondosa. Pensei na sibipiruna. Porém, me parece ser uma arvore muito sensível e suscetível a pragas e doenças. Me indicaram também a Árvore da China, que tem crescimento rápido. Alguém conhece para me dar maiores informaçoes? Obrigada.
    _____
    do blog:

    1. Se alguém souber de alguma árvore que preencha essas condições, favor informar.
    2. Bartira: não sei as condições do seu quintal, e nem qual o uso que você fará com uma bela sombra de árvore, mas da minha experiência pessoal, tenho uma receita que funcionou: Mamoneira . Um ano após a brotação da semente, já dá uma sombra magnífica. E junto dela, ou próximo, você poderá plantar uma outra árvore, de crescimento mais lento. Quando essa outra árvore estiver grande e frondosa (talvez daí a três anos), a mamoneira já estará na “velhice”, podendo ser cortada (com uma cerimônia de agradecimento a ela), deixando só a outra árvore. Há o inconveniente dos frutos que, em dias quentes, “estouram”, lançando sementes para todo lado. E os frutos são venenosos, perigo para crianças pequenas (até 3 anos).

  48. jose geraldo cardenas Says:

    Eu tenho uma sibipiruna no meu sítio que fica pingando agua (dia e noite) na estiagem.
    _____
    do blog:

    José Geraldo:

    Deve haver, sob a árvore, uma concentração de água ou produto aquoso. Esse líquido provavelmente sobe por capilaridade por pequenos interstícios entre os tecidos lenhosos da planta…

  49. Ana Rosa Says:

    Olá. Temos uma sibipiruna em frente de casa. Gostaria de saber se é normal ela soltar uma resina que fica colando no piso.
    Obrigada
    Ana Rosa
    _____
    do blog:

    Ana Rosa:

    1. A Sibipiruna tem, aparentemente (ainda não há estudos acadêmicos sobre isto), interstícios entre os feixes lenhosos do caule, que permitem a “subida” de líquidos por vasocapilaridade.
    2. Nunca notei expelição de resina em exemplares de Sibipiruna. E resina geralmente fica presa ao tronco, sendo bastante viscosa e espessa.
    3. Essa “resina” da árvore a que você se refere pode ser um “corpo estranho” na árvore, subindo pelo tronco através do fenômeno da vasocapilaridade. É possível que haja no solo, próximo à árvore ou debaixo dela, depósito de elementos tóxicos ou poluidos…

    Se algum leitor ou leitora tiver outras informações ou explicações sobre o fenômeno, favor informar.

  50. Lilian Zanetti Says:

    Olá! Moro em Bauru/SP e gostaria de saber qual é forma correta da poda da sibipiruna existente em via pública que tem fiação. Pergunto porque mantenho duas sibipirunas plantadas em frente à minha casa e a CPFL, hoje, fez uma poda radical que me deixou muito, muito, preocupada. Eles sempre realizaram as podas e desta vez tiraram toda a copa da árvore que estava acima da fiação. Veja bem, digo acima, a árvora já tem mais de cinquenta anos, a copa já tinha ultrapassado em muito a fiação e, desta vez, sob o argumento de que os galhos poderiam prejudicar a fiação, fizeram a poda. Isto me deixou muito angustiada, porque conservamos estas árvores com muito carinho, nem temos telhado na garagem, não nos incomodamos com a sujeira das folhas e do leite e menos ainda com a sujeira dos passarinhos no capô do carro, tudo isso pra ver as árvores peladas do jeito que deixaram. Se por ventura eles estiverem errados quero tomas as providências necessárias. Aguardo breve resposta. Lilian Zanetti
    _____
    do blog:

    Lilian:

    1. Árvores urbanas deveriam ser podadas por profissionais da área, ou seja, gente com habilitação ou conhecimento em Botânica. De preferência sob a supervisão de um Botânico ou Engenheiro Agrônomo. Mas normalmente as companhias de eletricidade terceirizam os serviços, contratando firmas “marreteiras” (lucram alguns trocados a mais com isto), com funcionários mais “marreteiros” ainda.
    2. Não era necessário fazer essa poda radical (toda a parte de cima da copa). Os galhos mais grossos (de 10 cm de diâmetro ou mais) pouco se movimentam nas tempestades, e podem (e devem) ser deixados ao lado dos fios. Deviam ser cortador apenas galhos mais finos com contato direto ou que estejam muito próximos dos fios.
    3. Aqui em Campo Grande, em casos análogos, o cliente da empresa de energia fez denúncia ao Ministério Público Estadual e ao Ibama. Os processos se arrastam na justiça, mas acabam funcionando como dissuasivo nos casos futuros, em que a empresa de energia vai tomar mais cuidado…
    4. Nesses casos, como se trata de área municipal, as prefeituras costumam ser coniventes com as empresas de energia. Reclame na prefeitura como eleitora, ou então leve essa sacanagem em conta na hora de votar nas próximas eleições municipais.

  51. Ediene Barbosa Says:

    Bom dia, tenho uma sibipiruna e de uns 2 anos pra ca, ela vem mostrando que não esta bem, nunca mais joga todas as folhas de uma so vez e quando chega a hora de florescer novamente tem a mesma dificuldade e as folhas não voltam bonitas e de tamanho normal, tem uns tipos de fungos em suas raizes, tipo umas orelhas sei la, umas coisas duras. O que posso fazer para ajuda-la.

    Grata

    Ediene
    _____
    do blog:

    Ediene:

    Esses fungos só atacam matéria morta. Uma parte do tronco da árvore deve estar morta. Se for uma parte pequena, será possível a recuperação: raspe essa parte com um instrumento de metal, e em seguida “pinte” a parte restante com uma camada de cal. Corte também galhos secos.

    Se o apodrecimento atinge metade ou mais da base do tronco, a melhor solução é sacrificar a árvore (antes, comunique à Prefeitura e aguarde sua autorização) e plantar outra no lugar.

  52. Ediene Barbosa Says:

    Oi, so pra corrigir meu e-mail de contato é ediene_barbosa@hotmail.com, não uso mais o anterior.

    Grata

    Ediene

  53. Ediene Barbosa Says:

    Oi, eu novamente, fui la olhar junto com meu marido e ele disse que não defini bem o que da na raiz dela, é uma massa branca tipo um cogumelo e as cascas ficam soltando em tipos de lascas. Ai me ajuda não quero ter que corta-la.

    Ediene
    _____
    do blog:

    Ediene:

    Cogumelos se alojam na parte externa dos paus e troncos. Raspe esses organismos. Quanto a soltar escamas, é natural nas Sibipirunas, após atingirem a plena idade adulta. Sem analisar o ambiente em que a árvore se encontra, difícil achar um diagnóstico. Na Prefeitura de sua cidade deve haver um departamento que cuida das praças e jardins. Você pode consultar esse departamento, e talvez um técnico vá verificar in loco e ajudá-la na resolução do problema…/em>

  54. helena Says:

    Ah!! que maravilha este trabalho que voce fez para apresentar-nos a bela SIBIPIRUNA, achei muito legal, vivo fotografando as flores desta árvore aqui na chacara e não sabia que era esta magestosa e linda árvore.Parabéns, bjs…..
    _____
    do blog:

    Obrigado, Helena!

  55. Fernando Says:

    Olá, muito bom o artigo, acho muito bonita essa árvore e queria plantá-la na frente da minha casa, não tenho problema com calçada, mas estou tendo dificuldades em conseguir as sementes. Se souber onde posso conseguir sementes desta árvore me informe, e se vc tem as sementes entre em contato comigo que estou afim de conseguir sementes. Um abraço
    _____
    do blog:

    Fernando:

    Mudas de Sibipiruna podem ser facilmente encontradas em qualquer viveiro de mudas. Sementes você pode obter pela Internet. Por exemplo, da AJA ( clique aqui ), que tem um kit de 15 sementes, no qual estão incluídas sementes de Sibipiruna.

  56. Sidney Says:

    Bom dia. Achei seu blog em pesquisa no google. Parabéns pelo trabalho. Peço orientação acerca do seguinte problema: tenho uma sibipiruna em frente a minha casa (Arujá /SP), rua sem calçamento, árvore com concreto há mais ou menos 70cm em volta. Desde o ano passado apareceram umas espécies de feridas tanto no tronco quanto nos galhos. Passamos sulfato de cobre, limpamos a árvore, mas o problema persiste. Existe mais alguma coisa que possamos fazer? Obrigado.
    _____
    do blog:

    Se você puder mandar pelo menos 2 fotos (use na sua máquina a opção “macro”, se tiver, e tire a foto de perto), talvez o blog (ou um visitante) possa chegar a alguma conclusão. Mande as fotos como anexo para valmardala(símbolodearroba)top.com.br . Não coloco o símbolo da arroba (@) para o e-mail não ser captado por spams. Mas você coloque o símbolo quando mandar o e-mail…

  57. Sidney Says:

    Muito obrigado. Vou providenciar as fotos. Abraços.

  58. Elza Helena Stosch da Silva Says:

    gostaria de saber a diferença entre sibipiruna e tipuana. as folhas parecem iguais. plantei algumas em meu sítio, mas não sei qual. obrigada. elza
    _____
    do blog:

    Elza: Sibipiruna é árvore brasileira; Tipuana tipu (a Tipuana presente nas cidades brasileiras) parece que foi introduzida de outro país. Cada folha da sibipiruna é composta por centenas de pequenas “folhinhas” chamadas folíolos. Na Tipuana, os folíolos são bem maiores e não passam de 25. Os frutos da Tipuana parecem passarinhos vistos de lado (com a semente parecendo a cabeça); os da Sibipiruna, não. Na Sibipiruna as flores são bastante agrupadas em cachos; na Tipuana as flores não formam cachos, sendo mais esparsas.

  59. Cláudio Says:

    Bom dia. Tenho uma área de 10m2 vazia no fundo de meu quintal onde há apenas grama e gostaria de saber se a sibipiruna é adequada para se plantar naquele local. Ali não há fiação elétrica e as casas dos vizinhos também não estão próximas. Sempre gostei da sibipiruna, mas sei que o porte dela é alto. Se não for recomendado o plantido dela no espaço que eu mencionei, que árvore nativa poderei plantar ali? Moro no Sul de Minas, a 950 metros de altitude. Abraço.
    _____
    do blog:

    Cláudio:

    1. Uma opção seria entrar em contato com a distribuidora de energia de sua cidade e indagar que árvores eles recomendam plantar nas áreas sob fiação. É que árvores altas são também, geralmente, árvores com copas bem espandidas lateralmente.

    2. Ainda não fiz um estudo sobre o tema, mas uma opção seria plantar a própria Sibipiruna ou uma árvore belíssima na floração, como o Ipê Amarelo (Tabebuia chrisotricha), e cuidar, aplicando técnicas de bonsai, para que ela não cresça demais, nem muito rápido, depois de alcançar a altura de 3 metros, evitando assim problemas com vizinhos (folhas, flores e sementes caídas no quintal deles). Por exemplo, quando a árvore atingir aquela altura, faça calçada em metade dessa área de 10 m2, cuidando para que a água de chuva que cair nessa calçada não entre na área livre em torno da planta. Isso limitará a área úmida no solo-subsolo sob a planta, e consequentemente a expansão das raízes e da copa.

    3. Complementando a informação do item 2, acima, cuide para que a área em torno da árvore seja plana, ou, melhor ainda, côncava, e um pouco rebaixada em relação a áreas vizinhas, para que a água da chuva que cair no espaço livre se infiltre rápido no solo.

  60. lorival perrud Says:

    Boa tarde.Tenho uma sbipiruna a mais ou menos 09 anos no meu quintal ela é muito linda mas recentemente aconteceu uma coisa muito estranha de repente caiu toda suas folhas ficou sem nada seus galhos estão secos e aparentemente não esta morta por favor me ajude ela fazia muita sombra é horrível sem ela aguardo respostas Obrigado .
    _____
    do blog:

    Lorival: Verifique se a árvore está recebendo irrigação adequada da água da chuva. Em torno dela deve haver uma área não-calçada, de pelo menos 2 x 2 metros. Essa área deve ser plana, ou còncava, e rebaixada (uns 5 ou 10 cm) em relação a calçadas e terrenos vizinhos.

  61. Fernanda Minatovicz Perrud Says:

    Olá, muito obrigada por responder a pergunta do meu esposo Lorival, estamos fazendo de tudo para salvar nossa sibipiruna. Quanto ao redor dela existe bem mais que 02 metros quadrados de área sem calçar, acredito que a tristeza dela não seja por isso, mas esquecemos de citar um detalhe; ela começou a espelir uma substancia de cor roxa de uns galhos que foram podados no ano passado . Achei muito estranho, porque o líquido de cor roxa escorreu pelo galho e logo em seguida ela ficou triste, perdeu todas as folhas, e continua sem há mais ou menos 20 dias. Chegamos até a pensar que ela pudesse ter sido envenenada pelo vizinho que não gosta dela, mas não sei se tem como fazer isso, me desculpe se estou sendo ignorante!
    Desde já muito obrigada,
    Fernanda
    _____
    do blog:

    Fernanda:

    Morte de árvores urbanas é do interesse da municipalidade, embora esteja dentro do seu quintal. Seria interessante você entrar em contato com o departamento de parques e jardins, ou equivalente, da prefeitura, e solicitar a visita de um técnico ou conhecedor. Parece haver, no solo das proximidades, uma fonte de poluição ou de elementos tóxicos. Esse técnico vai poder analisar todos os parâmetros existentes (espaço disponível, provável alcance das raízes, etc.) e chegar a uma conclusão mais adequada.

    Em todo caso, quanto ao vizinho, uma boa medida seria, no futuro, subir o muro de divisa, ou implantar tela, impedindo que galhos da árvore “invada” o espaço dele, vizinho, ou lance folhas no quintal dele. Infelizmente nem todos percebem o benefício de ter uma árvore por perto…

  62. lorival perrud Says:

    Ola boa tarde, olha sobre esse solo que vc citou realmente o meu terreno é um conjunto habitacional há 11 anos antes de ser um bairro era plantio de cana será que pode ser isso um terreno contaminado por herbicida muito forte?
    Aguardo resposta Obrigado.
    _____
    do blog:

    É possível, Lorival. Geralmente eles utilizam vinhoto, um subproduto na produção de açúcar e álcool, para adubar os canaviais. Pode ter havido uma concentração maior, e portanto tóxica, nesse ponto, ou pode ser que aí havia uma represa onde o vinhoto era estocado ante de abastecer as máquinas aspersoras…

  63. ROBERTO M. MOREIRA Says:

    OI…MORO EM ARACAJU/SE ESTA Á RVORE DA FOTO É A ACÁCIA IMPERIAL ? SE FOR GOSTARIA DE SABER ONDE COMPRO UMA MUDA PELA NET . AQUI JÁ PROCUREI EM VÁRIOS LUGARES E NÃO ENCONTRO.
    _____
    do blog:

    Roberto: não é a Acácia Imperial. Nas Acácias de flores amarelas os cachos não se levantam, como na Sibipiruna: eles ficam pendidos, como lanternas chinesas…

  64. ingrid Says:

    Olá,
    tenho um ipê branco na minha calçada que tem quatro anos e está com uns quatro metros de altura, e o tronco uns 30 a 40 cms de diâmetro. ontem à noite ventou muito e a árvore começou a cair.
    Fizemos uma escora com pedaços de madeira e por enquanto a árvore está segura, mas não posso manter os pedaços de madeira atrapalhando quem passa na minha calçada. um colega me falou para fazer uma escora com 3 bambus do tipo cruzado com se estivessemos escorando uma tenda de índio. Outro me falou que eu poderia fazer tipo um muro de concreto de mais ou menos um palmo de altura em torno da árvore e encher de terra. Vc poderia me dar alguma sugestão?
    obrigada
    Ingrid
    _____
    do blog:

    Ingrid: se puder, mande algumas fotos, tiradas de diversos ângulos, para o seguinte e-mail (para não ser captado por spans, vou descrever o e-mail): valdirdala arroba hotmail ponto com (elimine os espaços, substituindo “arroba” pelo seu símbolo e “ponto” pelo seu símbolo). Posso adiantar que seria interessante podar alguns galhos do lado caído, para equilibrar melhor a árvore, evitando o uso de estacas.

  65. arnaldo Says:

    bom dia,

    moro em são paulo e tenho um quintal com 1 sibipiruna, 1 pau-ferro, 2 acácias, 4 quaresmeiras e preciso fazer podas de controle pra que nenhuma delas atinja mais do que 5 metros medida em que se encontram atualmente. gostaria da sua orientação para evitar problemas futuros que possam colocar em risco a estrutura, encamento e calhas de chuva de minha casa devido às raizes, galhos e engrossamento dos troncos, isso claro sem danos para as espécies.
    _____
    do blog:

    Arnaldo:

    Acho que a melhor solução é aplicar algumas técnicas de Bonsai. Mais precisamente, controle do crescimento e direcionamento das raízes:

    1. Cuide para que a área adjacente à casa esteja calçada numa faixa de pelo menos 3 metros, e que a água da chuva que circular por essa área saia do terreno sem infiltrar na área das árvores.

    2. Deixe, em torno dos troncos das árvores, uma área mínima sem calçamento (digamos,2 metros quadrados, em qualquer formato, para cada tronco. Aqui também desvie a água da chuva que cair nas calçadas, direcionando-a para fora do terreno ou para um reservatório de água.

    3. Vai demorar algum tempo até que as árvores se adaptem à nova situação e “recolham” as suas raízes para a área junto ao tronco. Raízes mais curtas, e, pelo stress hídrico, mais finas, resultarão em galhos nas mesmas condições.

    4. À medida que for aplicando essas técnicas, vai poder acompanhar a reação das plantas (reação bastante lenta, é claro), e eventualmente fazer correções ou tentar nova técnica…

  66. Luciano Says:

    Plantei uma sibipiruna aqui em Santa MAria-RS, coloquei uma manilha de 1×1 por que o pátio é calçado e plantei dentro para conduzir melhor as raízes (assim fui orientado).

    A área onde foi plantada é bem úmida (antes de plantar sempre havia água acumulada no buraco). O solo aqui é um pouco argiloso. Depois de colocar terra plantei, isso foi em setembro de 2010 e agora ela está com cerca de 1,7m. Essa semana as folhas de cima começaram a cair. Notei que ao púxar elas se soltam facilmente. O solo está bem úmido. Será que é problema de umidade de mais (agora no RS o clima é frio e tem días bem úmidos) ?

    Descobri também esses dias que os pedreiros da minha casa teriam utilizado esse buraco para palva alguns materiais (o raça braba!).

    Pode ser também algum tipo de intoxicação ou tudo isso é normal para a época ?

    Obrigado
    _____
    do blog:

    Luciano:

    Diferente dos ipês, por exemplo, as Sibipirunas não perdem automaticamente as folhas na época do estio. Isto pode estar sendo causado pelo encharcamento do solo. Você poderia fazer um túnel vertical junto à borda da manilha (de preferência do lado de fora, mas se não der, do lado de dentro), com uma cavadeira manual pequena. Quanto maior a profundidade (1 metro ou mais), melhor. Se após algumas horas o buraco estiver com bastante água, fica confirmado o encharcamento. Aí é só retirar a água excedente com vasilhame estreito amarrado na ponta de um arame. Sanado o problema (se for mesmo esse), a árvore deverá se recuperar dentro de algumas semanas.

  67. Wenderson G Campos Says:

    Primeiramente, parabéns pelo blog!
    Bem, minha dúvida é a seguinte: estou querendo fazer no fundo do terreno que tenho, um pequeno bosque. Queria fazê-lo com sibipirunas, o que vc acha da idéia? E qual a distância que devo plantá-las umas das outras pra que haja um encontro das copas?

    Um abraço e obrigado!

    Wenderson (BH)
    _____
    resposta do blog:

    Wenderson: o que precisa ser definida é a sua pressa em ter um bosque formado (isto é, com o solo totalmente sombreado) e a sua prioridade. Um espaçamento ideal seria aquele em que cada árvore pudesse se desenvolver em beleza plena, com cada copa apenas tocando as copas vizinhas. Teríamos, assim, um espaçamento de 10 metros entre uma árvore e outra. E uma longa espera. Mas para um fechamento mais rápido das copas (preferência pela sombra, e não pela beleza), uma boa distância seria a de 5 metros, podendo ser reduzida a um mínimo de 3 ou 2.

  68. Marina Pianucci Says:

    URGENTE!
    Boa tarde, tenho um pé de Sibipiruna em uma casa no interior de Sao Paulo. Nesta manhã observei que em vários dos seus galhos haviam gosmas brancas com larvas dentro. Pude percebê-las pois essa gosma pinga a todo o tempo, levando as larvas ao solo.
    Tenho fotos da gosma envolvendo os galhos e algumas folhas da sibipiruna. Se alguém já ouviu falar, ou sabe o que pode ser esta gosma/larva, por gentileza entrar em contato. (marina.pianucci@hotmail.com)
    Obrigada.

  69. Wenderson G Campos Says:

    A sombra é importante no meu caso, pois no meu terreno o sol castiga! Mas a beleza desta árvore florida é imprescindível! Minha intenção é comprar mudas de aproximadamente uns 2 metros. O que vc acha de fazer uma média…7 m entre mudas? Quanto tempo levará para se encontrarem?
    _____
    resposta do blog:

    Wenderson:

    1. Alimentar uma árvore, isto é, propiciar sua manutenção e seu crescimento, é tarefa mais complexa do que alimentar um animal (vaca, porco, etc). Envolve mais fatores, tais como propriedades fisicas e químicas do solo, ambiente circundante, regime de chuvas, etc. Assim, os dados disponíveis sobre crescimento de árvores são um tanto confusos. O livro Espécies Arbóreas Brasileiras, da Embrapa, cita, por exemplo, experimentos florestais com o Pau-Brasil, espécie próxima da Sibipiruna, experimentos efetuados em diversos estados Brasileiros. Os dados vão desde crescimento médio anual (em diâmetro) de 0,31 cm (Antonina – PR), até 1,1 (Mogi Guaçu – SP), passando por 0,7 cm em Cabrália – BA.

    2. Os dados acima são de experimentos florestais. O de Mogi Guaçu, por exemplo, teve árvores plantadas a 3 metros de distância umas das outras. Com espaçamentos maiores (mas só até um ponto ideal para determinada espécie), o crescimento deve ser um pouco maior, também. Tenho em minha chácara uma Canafístula, muda que ganhei há 10 anos num Dia do Meio Ambiente. Ela está agora com 11 cm de DAP (diâmetro à altura do peito) e 6 metros de altura. Pode-se pensar que as suas Sibipirunas, começando com 2 metros de altura e talvez diâmetro de 3 cm, recebendo cuidados especiais (o que não ocorre em florestas), vão encorpar, em diâmetro, 1 cm, ou pouco mais, por ano. Em média, significando que no primeiro aniversário de replantio talvez cresça, por exemplo, 0,8 cm, no segundo 0,85 cm, e assim por diante, até chegar num ponto em que o crescimento passa a ser cada vez menor.

    3. Previsão do encontro das copas, só no chutômetro. De acordo com a matéria do livro citado, há uma relação aproximada, entre dap (em cm) e altura (em cm), de 1 para 80, isto é, para cada cm aumentado no diâmetro, a altura aumenta em 80 cm. Isto até a árvore atingir seu limite de altura, determinado por fatores genéticos. Com afastamento de 7 metros entre uma árvore e outra, e levando em conta que a copa de árvores como a Sibipiruna têm diâmetro aproximadamente igual à altura da árvore, a pergunta é: em quanto tempo a copa vai atingir uma extensão de 7 metros (ou seja, 3,5 metros de um lado e 3,5 de outro)?

    4. As suas Sibipirunas (replantadas com 2 metros) devem atingir 7 metros de altura em cerca de 6,5 anos. Mas isto, como disse, é chutômetro. Depende das suas árvores não sofrerem ataques devastadores de pragas, de não sofrerem carência hídrica (ou o mal oposto, excesso de umidade), do solo ter propriedades físicas e químicas boas, etc.

    5. Pelo mesmo raciocínio, com espaçamento de 5 metros as copas vão fechar em 4 anos. Com espaçamento 6, em 5 anos.

    6. Não confie demais nos dados acima. São experimentais, e pode ser que botânicos com conhecimentos específicos venham a contestá-los ou complementá-los (o blog está sempre aberto a discussões construtivas). (

  70. Wenderson G Campos Says:

    Te agradeço muito pelas explicações! Vou refletir bastante sobre elas, e ver o que faço.

    Tenho outras árvores em mente: Guapuruvú, Pau-ferro, Koelreuteria, mas se tiver outra sugestao, por favor me ajude.

    Um abraço e mais uma vez muito obrigado!

  71. Ana Selma Says:

    Tenho uma sibipiruna na porta da minha casa, so que ela cresceu muito e as raizes levantaram os cimentos da calçada atrapalhando a abertura do portão p/ carros, pelo fato de ter ficado muito tempo sem abrir depois que roubaram meu carro, e me disseram que ela se estende por baixo do solo podendo até mesmo fazer estragos na casa isso é verdade? me disseram também que eu poderia mandar cortar a raiz próximo ao tronco do lado que vai p/ casa e construir uma mureta de cimento no local onde cortar p/ evitar que a raiz cresça para o lado da casa estas informações são verídicas?
    _____
    resposta do blog:

    Ana Selma:

    1. A sua Sibipiruna está sendo “torturada” e lentamente “assassinada”. Árvores são seres vivos, e precisam de um espaço mínimo, no ar e no solo, para sobreviverem saudavelmente.

    2. As raízes da Sibipiruna devem formar, no solo (portanto fora do alcance da vista humana) um entrançado parecido com o entrançado dos ramos na parte aérea. A única diferença seria que as raízes não emitem folhas, flores e frutos. Se a copa da árvore ocupa uma área de 25 metros quadrados (ou um círculo com um diâmetro de aprox. 5,6 metros), as suas raízes devem ter condições de explorar, no solo e subsolo, área de igual abrangência.

    3. Se toda a área em volta da árvore está calçada, sobrando apenas um quadradinho de 50 cm por 50 cm em torno do tronco, a planta vai receber irrigação natural (da chuva) de apenas 1 % (um por cento) do que necessita. As raízes não vão se aprofundar no solo, pois só naquele quadradinho o solo conserva umidade. As raízes vão se concentrar ali, engrossando artificialmente (como um aleijão).

    4. O mal está feito. Então, providencie (com licença da prefeitura) a remoção da árvore (inclusive das raízes) e plante uma muda da mesma espécie, agora “fazendo a coisa certa”, ou seja:

    a) explore o tal quadrado, verificando se não contém pedras ou resíduos de construção. Se houver, remova.
    b) alargue bastante o tal quadradinho, transformando-o num retângulo (por exemplo, de 1 metro por 5 metros), o comprimento acompanhando a linha da sarjeta, com a árvore no centro. Assim a futura árvore terá uma área de recepção de água da chuva de 5 metros quadrados (ou seja, 20 vezes mais que os 0,25 m2 anteriores).
    c) A área de recepção acima ainda é pequena para as necessidades da planta. Faça com que essa área de recepção fique rebaixada em relação à calçada e à sarjeta. Assim, a água que cair na calçada invadirá a área rebaixada, formando “laguinho” provisório. Isto propiciará um complemento de irrigação para a árvore, e esse complemento irá irrigar adequadamente o solo e subsolo que receberá, no futuro, as longas (e finas) raízes da planta.
    d) com as raízes se expandindo adequada e harmoniosamente pelo solo e subsolo, não haverá problemas para a calçada e o muro da residência. Não haverá os habituais aleijões das raízes expostas.

  72. josiane Says:

    Olá, eu tenho uma amiga q tomou o chá das sementes da sibipiruna, ela fez o chá com agua com gás, ela disse q dps q tomou esse chá ela se livrou de fortes dores no braço, ela ja estava com uma cirurgia marcada, infelismente nao estou conseguindo falar com ela para pegar essa receita, ano passado ela veio aki em ksa e pegou mtas sementes na rua, no bairro onde eu moro tem varios pés dessa planta. Se por acaso alguém souber como se faz esse remedio poderia me enviar e tb postar aki.eu conseguindo irei postar.

    obrigada
    bjss

  73. Eduardo Guimarães Says:

    Tenho uma sibipuruna na calçada em frente minha casa. Ela está infestada de barbeiros marrons, com cheiro muito forte. Eles já mataram a outra sibipuruna e agora se instalaram nesta. O que faço para combatê-los ?
    _____
    resposta do blog:

    Eduardo: você pode usar inseticida comum (baygon, sbp, etc), aspergindo sobre as maiores concentrações do inseto.

  74. Márcia Says:

    Boa tarde!!!

    Tenho uma sibipiruna há alguns anos, ela estava linda mas de uns dias para cá as folhas cairam e secaram, os galhos estão todos secos, será que ela pegou alguma doença?? por favor me ajudem como posso saber. Outros tipos de arvores da vizinhança estão todas bem verdinhas.
    _____
    resposta do blog:

    Márcia: um caso assim geralmente ocorre ou por extrema falta de umidade, ou pela presença de elementos tóxicos no solo. Tente encharcar o espaço junto ao tronco com água potável, providenciando para que a água se infiltre no solo junto ao tronco (sem escorrer para o asfalto ou área calçada). Irrigue lentamente, com pelo menos 100 litros de água. Aguarde para ver se há, dentro de 1 ou 2 semanas, reação da planta (rebrotas). Se não houver reação, você poderá solicitar a visita de um funcionário da prefeitura (também responsável pelas árvores urbanas), que poderá apresentar um diagnóstico mais exato e talvez até uma linha de ação plausível para a solução do problema.

  75. edenilton alves Says:

    tenho várias sementes de sibipirunas, gostaria de saber se elas precisam de dormêmcia para germinar ? e se precisarem qual?

    A dormência, Edenilton, é um mecanismo de certas sementes, pela qual elas esperam um “sinal” da Natureza para germinarem. As sementes de Sibipiruna não apresentam dormência, e portanto podem ser semeadas sem qualquer cuidado ou preparo especial. Pressione-as um pouco com os dedos, enterrando-as ligeiramente na terra da embalagem que será usada para fazer as mudas. Cubra-as com um pouco de terra e regue duas vezes por dia, com a água do regador bem próximo da terra para não causar danos ao processo de germinação.

  76. Edenilton alves Says:

    olá! obrigado pela resposta, adorei o blog e aproveitando a oportunidade gostaria de saber com quanto tempo, depois da germinação devo colocar as mudas no saquinho ? um abraço!.
    _____
    resposta do blog:

    Edenilton: no saquinho com terra você coloca a semente; irrigue, espere germinar, e quando a muda estiver com uns 50 centímetros de altura (uns 4 ou 5 meses depois) você já poderá plantá-la em lugar definitivo.

  77. Edenilton alves Says:

    gostaria de saber se você vende sementes de sibipiruna?, ou onde posso encontrar?. abraços!
    _____
    resposta do blog:

    Edenilton: Mudas de Sibipiruna você encontra em qualquer viveiro. Quanto a sementes, é possível que nesta época, em sua cidade, você encontre árvores com frutos (pequenas vagens) maduros, liberando as sementes. É só catar e plantar.

    Se essa solução não for possível, há firmas especializadas na venda de sementes. Pesquise, no Google, anotando: sementes + sibipiruna.

    Não lidamos e não vendemos sementes.

  78. Andrea Chehade Says:

    Olá!
    Sou professora de uma escola de Ensino Fundamental e estamos fazendo uma pesquisa sobre a sibipiruna.
    Seu blog é muito bom e esclarecedor.
    Mas ainda temos uma dúvida: como saber a idade de uma sibipiruna?
    Vi que uma pessoa escreveu que sai uma resina da árvore e aqui na escola acontece o mesmo, saindo do tronco a uma altura de 1,40m aproximadamente. Uma resina firme, translúcida e alaranjada para marrom.
    Agradeço a atenção,
    Andrea
    __________
    resposta do blog:

    Andrea: não sabemos responder sobre determinação da idade de árvores. Talvez você encontre algo procurando, no Google, sobre dendrologia…

  79. Vinicius F. de Carvalho Says:

    Olá, tenho um árvore de Sibipiruna na minha calçada há mais de 25 anos, infelizmente ela agora está atrapalhando a reforma da faxada da casa, pretendo construir uma garagem. Fora o incomodo q ela produz o ano todo como: Caem muitas folha e flores, contribuindo para o entupimento do bueiro que fica próximo, suas vágens, sua cola que cai e é indesejável pois gruda nas solas dos calçados, enfim, ela se tornou um extorvo até para as vizinhanças. Como devo proceder, infelizmente para sua remoção, ficando dentro dos conformes da Lei | Grato
    __________
    resposta do blog:

    Vinicius: a árvore está em área pública, e portanto você precisa da autorização da Prefeitura para removê-la do local. Converse com o pessoal do setor responsável por parques e jardins, ou pelo urbanismo, e apresente a eles esses argumentos.

  80. Nubia Says:

    Olá! gostaria de ter sua ajuda também li tudo e achei que entendi o que a Sra Edilene perguntou, minha árvore está com o mesmo problema. Tenho uma sibipiruna antiga e gosto muito desta árvore, mas há cerca de dois anos começou a aparecer uma massa branca que se assemelha a cogumelos, mais parecidos com orelhas de pau, porém são grandes e brancos, tive a curiosidade de desenterrar em volta e vi que eles estão saindo das raizes da minha árvore, tenho notado que ela não está mais tão viçosa e pensei em fazer uma poda maior, mas acabei ficando com medo.
    Minha árvore fica no meu jardim e tem parte das raizes cobertas por um pedaço do piso da garagem, mas a grande parte dela esta no próprio solo do jardim e coberta de grama. Durante os 6 meses da seca, a grama é irrigada e portanto a árvore também. Este procedimento de irrigar a grama pode prejudicar minha árvore? como posso combater esses “cogumelos”? Minha cunhada disse que a arvore dela caiu depois de ter tido esse mesmo problema.
    Existe alguma solução??????????
    __________
    resposta do blog:

    Núbia: aparentemente há excesso de umidade junto ao tronco da árvore. Diminua a irrigação, deixando tudo por conta da chuva. Seria interessante podar estrategicamente alguns galhos, de forma a propiciar maior iluminação natural (e calor do Sol) junto ao tronco.

  81. Guilherme Says:

    Meu sonho é fazer um bonsai de sibipiruna, que para mim é a árvore mais bonita que existe (se acha que ela faz sujeira, é porque está plantando no local errado!). Deixo o meu contato para pessoas que tenham bonsais desta árvore e que queiram trocar informações.

    Guilherme,
    Brasília/DF
    __________
    Observação do blog:

    O e-mail do Guilherme é: guicampos seguido de arroba e gmail ponto com.

  82. Nildo Says:

    olá amigo! Vou plantar cinco mudas de árvores da mesma espécie e tô com uma dúvida entre a sibipiruna e a flamboyant., como conhecedor destas árvores o que vc me aconselha? grato!
    __________
    resposta do blog:

    Nildo: cada árvore tem as suas peculiaridades e as suas belezas. Depende muito do gosto pessoal e, no presente caso, da área que você tem disponível. Se é uma área grande, descampada, pode plantar as Flamboyants, uma a pelo menos 10 metros da outra. Os galhos da Flamboyant se espalham mais lateralmente do que para o alto. Se a área é restrita, melhor plantar Sibipiruna, que tem copa mais alta. Sibipiruna pode plantar a 5 ou 6 metros de distância uma da outra.

  83. PATRICIA LIVEIRA Says:

    TENHO UMA SUBI NA FRENTE DA MINHA CASA ,COMO SABER SE ELA NÃO TEM NENHUMA PRAGA,POIS QUERO CERTIFICAR Q TUDO ESTA BEM,MEU VIZINHO SOLICITOU A ESTIRPAÇÃO,NÃO QUERO TIRA LA,POREM NÃO QUERO ESTAR DESPREVINIDA,DE ALGUM ACIDENTE ME AJUDE!MINHA ÁRVORE É LINDA.
    __________

    resposta do blog:

    Patricia: legalmente o seu vizinho não tem o direito de exigir a retirada da árvore. A árvore está num passeio público, e só a Prefeitura pode autorizar a retirada, desde que vocês (você e sua família) concordem.

    Mas mesmo que vocês concordem, a Prefeitura não vai retirar a árvore só porque um vizinho se incomoda com folhas e flores que caem. Os benefícios que a árvore traz, inclusive a esse vizinho, são bem maiores que eventuais transtornos.

    Para que a sua árvore permaneça saudável, cuide para que toda a água que cai sobre a copa penetre no solo, junto ao tronco. Assim, se o espaço não calçado em torno do tronco for pequeno, faça anteparos para que a água da calçada vá para esse espaço, formando pequeno “laguinho” durante as chuvas.

    Se quiser, pode nos mandar uma foto da árvore. Mande para o e-mail indicado no quadro em azul CONTATO, na coluna direita (mais estreita) do blog.

  84. Jairo Says:

    Tenho uma sibipiruma no patio, plantei ela no mês de Agosto de 2010, ela cresceu um pouco porém o seu caule é muito flexível, se não tiver alguma coisa para segura-la ela poderá quebrar facilmente, queria saber de alguém se isso é normal em uma sibipiruma nova ou não. obrigado
    __________
    resposta do blog:

    Jairo: isto é normal, não apenas para Sibipirunas, mas para qualquer árvore, com raras exceções. O ideal será você enterrar uma estaca a uns 20 cm do tronco e amarrar frouxamente com uma cordinha.

  85. Mário Pereira de Sousa Says:

    Meu amigo, parabéns, pelo seu amor e dedicação às árvores, principalmente à sibipiruna.

    Eu estou organizando uma pequena chácara, a sessenta km de Recife. Planejo plantar mudas de Sibipiruna, guapuruvu, ipês, Flanboyan paineiras, entre outras. Gostaria que você me informasse quanto ao tempo de crescimento dessas árvores. Quais as que têm o crescimento mais rápido e as que demoram mais.

    Obrigado
    Mário.

    __________

    resposta do blog:

    Mário:

    Quando se analisa dados do Ibama sobre reflorestamento com espécies nativas, o que se vê é uma desconcertante diversidade. Espécie que cresce bem num local tem o crescimento muito retardado em outro.

    É que existem diversos fatores envolvidos: clima, textura e fertilidade natural do solo, regime de chuvas, declividade do terreno, etc. Tenho a impressão (não fiz nem vi estudos científicos a respeito) que Flamboyant e Paineira Rosa se desenvolvem mais rápido do que as outras espécies citadas.

    Tenho lido que as terras da faixa litorânea do Nordeste apresentam boa fertilidade e o regime de chuvas seria adequado à maioria das lavouras e espécies vegetais. Assim, acho que o ideal seria você utilizar todas as espécies disponíveis: com a diversidade, todas as espécies serão beneficiadas. Se o terreno apresentar declividade, será preciso criar pequenas bacias (ou meias-luas, fazendo cordões de terra ou murundus) em torno dos troncos, para retenção da água da chuva.

  86. Eonara Says:

    Ganhei umas sementes vermelhas, pensando que era de Pau brasil. Plantei e já estão bem crescidas. Uma pessoa disse que é Acacia Carolina. Nao sei diferenciá-las.Como devo proceder para saber se é Acacia carolina ou Pau brasil? Gostaria de deixá-las em miniaturas.
    __________

    resposta do blog:

    Eonara: mande fotos das plantas para o e-mail indicado no quadro em azul CONTATO, na página principal deste blog. Tentaremos identificar as plantas.

  87. Adriana Todesco Says:

    Moro em um condomínio que tem varias sibipirunas,algumas lindíssimas e outras sofridas,com parte da casca soltando galhos secos.Gostaria de tentar salva-las.Estão plantadas na região serrana de Serra Negra a 1100mtrs de altitude,algumas estão expostas a ventos fortes em parte do ano.Gostaria de enviar foto para melhor avaliação.
    __________

    resposta do blog:

    Adriana: mande as fotos, como anexo, para o e-mail indicado no quadro (em azul) CONTATO, na coluna direita da página principal.

  88. Andre Says:

    Tenho uma sibipiruna linda e bem antiga em frente de casa, gostaria de saber os cuidados que devo ter com ela pra que continue saudavel. Agradeço a ajuda.
    __________

    resposta do blog:

    André:

    1. Veja se a árvore recebe adequada irrigação da chuva. Toda a água que cai em sua copa deve infiltrar no solo em torno de seu tronco. Se o espaço sem calçamento em torno da planta for pequeno (digamos um quadradinho de 80 centímetros por 80 centímetros, alargue esse espaço (por exemplo, 3 metros por 80 cm). Se não for possível aumentar o espaço para absorção da água da chuva, cuide para que a água que cai na calçada, sob a copa, se direcione para junto do tronco, formando, nas chuvas, um “laguinho” provisório naquele espaço não-calçado.

    2. Só faça podas absolutamente necessárias (para retirar galhos secos ou galhos que estejam impedindo a passagem de pessoas ou de fios elétricos.

  89. gabriela Says:

    fotos maneiras mas nao tem nem uma que me interesse.

  90. Marcos Mendes Says:

    Boa noite. Plantei no meu jardim uma árvore que à princípio adquiri como Pau-ferro, mas não tenho certeza se é Pau-ferro ou Sibipiruna. O crescimento está bem lento, mas o que me preocupou foi que uns 3 dias atrás as folhas ficaram todas amarelas e começaram a cair. É normal? Quando plantei em fev/2012 tinha 1,5m e só cresceu alguns centímetros. Será que é falta ou excesso de rega?
    __________

    O blog diz:

    Marcos:

    Mande fotos da árvore para o e-mail indicado no quadro CONTATO do blog. De preferência utilizando o comando macro da sua máquina fotográfica (o comando que tem como símbolo uma flor estilizada). É para sair bem focadas fotos tiradas de perto, em close. Dê close das folhas e da parte de baixo do tronco, e vista geral da planta, com o ambiente em torno dela. Vamos ver o que é possível descobrir analisando essas imagens…

  91. Fabiocoloco Says:

    Qual a distancia ideal entre as sibipirunas?
    __________
    resposta do blog:

    Fabio:

    Depende do seu objetivo ao plantar um grupo de sibipirunas. Se o objetivo é de Estética e de Conforto para os futuros usuários do espaço, deixe 5 metros de espaço entre as mudas. Se o objetivo for reflorestar, para futuro aproveitamento da madeira, por exemplo, espaçamentos menores resultam em maior eficiência.

  92. Fabiocoloco Says:

    Por que algumas sibipirunas tem a folha com o tom de verde mais claro e outras mais escuro?
    Por que algumas florescem e outras não?
    Quando eu for plantar tem como escolher?
    __________

    resposta do blog:

    Fabio:

    O verde mais claro é de folhas novas. Com o passar do tempo, as folhas vão ficando mais escuras.

    As sibipirunas, como as outras árvores, demoram alguns anos até atingirem a idade adulta. Só então elas vão florescer.

    Às vezes uma árvore não floresce na mesma época das outras da mesma espécie por deficiência hídrica no solo. Mas quando a situação for normalizada, ela vai florescer isoladamente ou na próxima floração geral da espécie.

  93. Fabiocoloco Says:

    Adquiri 40 mudas de sibipirunas mas ainda nao as plantei. Ao regar as pequeninas, pude notar que formigas trafegavam sobre seus galhos. Ha algum problema? Que cuidados tomar ate a hora do plantío? Existe algum problema em plantar as sibipirunas numa área com eucaliptos descotados?
    __________

    resposta do blog:

    Fabio:

    Formigas vermelhas cortam as folhas das plantas. Formigas pequenas, pretas ou marrons, levam fungos para que estes “pastem” as folhas. Ataque essas formigas com inseticida comum, aspergindo-as quando estiverem no chão. Pode também criar um isolamento, cordão em torno das mudas, feito com bombril desfiado. Ou colocar as mudas sobre uma mesinha, mesmo improvisada, que tenha os pés mergulhados em latas de 1 litro com água.

    O problema com os eucaliptos é que estes crescem muito mais rápido que as sibipirunas. Logo vão sombreá-las, o que vai retardar ainda mais o crescimento dessas sibipirunas.

  94. Fabio Coloço Says:

    Minha mãe me disse que somente as sibipirunas femeas dão flores. É verdade? Se for verdade tem como saber nas pequenas mudas quais são as femeas e quais são os machos?
    __________
    resposta do blog:

    Fabio:

    Há algumas espécies de plantas que apresentam flores masculinas num exemplar e flores femininas em outro. Exemplo, algumas espécies de mamão.

    Não é o caso da Sibipiruna. A Sibipiruna tem flores hermafroditas, isto é, em cada flor há elementos masculinos (estames, com suas anteras liberadoras de pólen) e elementos femininos (ovário com o seu estilete). Assim, todas as sibipirunas são, quanto a esse aspecto, iguais.

  95. bianca Says:

    Quais são os animais que têm associação com a sibipiruna?

    __________

    O blog diz:

    Não temos conhecimento sobre esse assunto, Bianca!

  96. Fabio Coloço Says:

    Bom dia a todos. Primeiramente gostaria de agradecer as informações do blog assim como elogiar o mesmo. Plantei 40 mudas de sibipiruna na chácara do meu pai respeitando uma rua com distancia entre elas de 7 x 10 m. Infelizmente formigas devoraram todas as folhinhas de alguns pés. Cortei garrafas pets de 2 litros e coloquei em volta das mudas conforme orientação do meu pai. Existe algum problema nisso?

    __________

    resposta do blog:

    Fábio:

    Nenhum problema. Boa idéia.

  97. Angélica Says:

    Gostaria de plantar uma Sibipiruna no meu terreno, mas quando pedi ao pedreiro para fazer o seu cantinho vi que o terreno é formado de entulho muito duro, tijolos e pedras.
    Gostaria de saber se ainda há esperança ou se devo desistir e plantar uma arvore de menor porte.
    Se eu furar o entulho verticalmente até encontrar terra a raiz dela cresceria para baixo e daria sustentação suficiente na idade adulta? náo posso abrir muito para os lados pois no local param carros.
    __________

    resposta do blog:

    Angélica:

    O ideal, no caso, seria plantar uma árvore de menor porte, após abrir uma brecha no entulho e encher com terra comum.

    Mas você pode tentar a Sibipiruna, desde que haja um bom espaço lateral onde ela poderá estender seus galhos harmoniosamente. Algo em torno de 4 ou 5 metros para cada lado do tronco. Nesse caso, mande perfurar um buraco de pelo menos 1 metro de diâmetro, até alcançar o sono natural. Depois feche o espaço com terra comum ou, melhor ainda, com terra comum misturada com uma parte de humus, esterco curtido ou terra vegetal.

  98. Aparecida Says:

    Tenho uma sibipiruna na frente da casa há uns 12 anos , Em torno do tronco tem um espaço de 80 cm de diâmetro .. Ela sempre floresceu , deu sementes normalmente . Porém uma manhã observei que as folhas todas novas e cheias de vida dos 3 galhos mais altos e que estão interligados pelo mesmo tronco , começaram a murchar e em dois dias secaram totalmente e começaram a cair .E os dois galhos que não estavam ligados àquele entroncamento permanecem vivos e saudáveis .Aparentemente os galhos também secaram . O que houve com a árvore ? Fiquei triste ,pois ela me dava sombras na casa durante toda a tarde . Já estou sentindo a falta de seus benefícios.

    __________

    resposta do blog:

    Aparecida:

    Este é um caso intrigante. Não dá para diagnosticar sem examinar a árvore…

  99. Aparecida Says:

    MUITO OBRIGADA PELA ATENÇÃO . QUE PROCEDIMENTO DEVO TOMAR ? PROCURO A SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE DO MUNICIPIO?

    __________

    resposta do blog:

    Desculpe, Aparecida. Deveria já ter dado a dica. É exatamente isto que você deve fazer: procurar o setor competente da Prefeitura. Mesmo porque, estando a árvore em área pública (a calçada), a Prefeitura tem também interesse em manter a sanidade da árvore. Boa sorte.

  100. elizabeth felix Says:

    Amo a natureza. Ela vem de Deus. É obra das suas mãos. Os
    Ipês e as Sibipirunas alegram minh’alma, e me renovam a cada manhã, e sei que a cada dia vejo com mais nitidez, o azul do céu e a cor das flores, criadas pelo maior pintor de todos os tempos, desde a eternidade, o Deus Todo Poderoso. Eu te amo Senhor, de todo o meu coração!

  101. Sandra Says:

    Tenho um arvore sibipiruna, todas as folha ficaram amarelas e estao caindo, estou muito triste e nao sei o que fazer. por favor alguem sabe me dizer porque esta acontecendo isso nessa epoca, ela e novinha e ja deu alguns cachos de flores depois disso e que aconteceu a queda das folhas. obrigada.

  102. Fabio Coloço Says:

    Existe algum problema ou recomendação em plantar grama proximo as sibipirunas?
    __________

    resposta do blog:

    Fabio:

    Ao meu ver, nenhum problema. Ao contrário, o gramado vai proteger o solo. E as raízes da grama vão competir irrisoriamente com as raízes da árvore, por nutrientes do solo.

  103. vanessa Says:

    gostaria de saber se as fotos é de uma sibipiruna ou de duas porque no meu quintal tenho uma que dá os frutos como os da foto e outra que só da flores
    __________
    resposta do blog:

    Vanessa: mande fotos, como anexos, para o e-mail indicado no quadro (em azul) CONTATO. Aí poderemos analisar.

  104. larissa Says:

    Eu quero saber qual é o tipo da raiz dela

  105. Marcos Aurélio Says:

    Podaram uma sibipiruna na minha rua e não deixaram nem um galho com folhas, foi uma poda drastica. Será que ela brotará novamente?
    __________
    resposta do blog:

    Vai rebrotar, Marcos Aurélio.

    Mas se essa poda drástica for repetida muitas vezes, acabará por enfraquecer a árvore e até levá-la à morte.

  106. Emanuel Says:

    Interessante a questão da resina que a Sibipiruna solta, que fica colada no chão, no carro, na sola no sapato, etc. A minha está neste processo, em tempo seco, acaba quando volta a chover (não chove há pelo menos 2 meses). Hoje, fui observar a resina de perto e vi que ela se mexia. Trata-se de um micro mosquitinho verde, da cor das folhas, que caem aos milhares e depois de um dia, se não jogamos água, eles fazem uma revoada que temos que tomar cuidado no respirar, para não ficar tragando. Pesquisei e não encontrei absolutamente nada. Sabe algo a respeito ou onde posso pesquisar??
    Abs
    __________
    Valdir diz:

    Essa sua descoberta é muito interessante, Emanuel. Se você puder tirar algumas fotos e nos mandar, ou mandar o link para fotos do facebook, ajudaria no começo da pesquisa.

    Mas as fotos só vão sair boas se você usar o recurso “macro”, que o celular não tem. Só as máquinas fotográficas.

  107. Sr. Kerlen Ferreira Says:

    Amigo, estou pensando em plantar uma árvore para fornecer sombra ao meu quintal. Moro numa cidade muito quente, Teresina, capital do Piauí. A área a ser coberta é de 90 m² e gostaria de não deixar que o sol atingisse o piso.. Além disso, queria uma árvore que crescesse o mais rápido possível, pois o sol aqui é muito intenso. Pensei em comprar mudas de Acácia, pois me informaram que cresce muito rápido. Você indica a plantação da sibipiruna como alternativa? Ou pode me indicar alguma outra árvore de rápido crescimento e que forneça muita sombra? Obrigado, amigo.
    __________
    resposta do blog:

    Kerlen:

    1. Não disponho de estudos comparativos da velocidade de crescimento das várias espécies vegetais nativas. De qualquer forma, o crescimento de uma espécie qualquer pode variar muito, de um local para outro. Clima muito quente como o da sua cidade, aliado a chuvas abundantes e solo de boa fertilidade seria a melhor combinação para um crescimento mais rápido.

    2. Tanto a Acácia quanto a Sibipiruna são ótimas para sombreamento, pois mantêm as folhas mesmo nos períodos de estio. Você pode encurtar a chegada de um sombreamento efetivo comprando em viveiro mudas com 2 ou 3 anos de idade. Mesmo assim ainda terá de esperar uns 2 ou 3 anos para ter sombra mais abrangente.

    3. Num terreno de 90 m2, 1 Sibipiruna ou Acácia, ou no máximo 2, daria para sombrear toda a área, sem causar problemas com eventuais vizinhos. Quanto à demora para que a árvore ou as 2 árvores fique com uma copa grandiosa, você pode tentar uma solução “de emergência”. Já fiz isto num quintal urbano, em área de uns 50 m2.

    4. Seria o caso de plantar a Sibipiruna ou Acácia no meio da área, ou distribuir 2 plantas pela área, mantendo igual distância entre as duas e entre cada uma e a divisa da área. “Cerque” essas duas árvores ainda jovens com 4 mudas (ou plantando semente direto no solo) de Mamona (de cujo fruto são extraídos óleo de rícino e combustível para aviões), uma para cada canto e a pelo menos 2 metros da divisa. Em 3 ou 4 meses você já terá 4 bons espaços de sombreamento parcial. Mais alguns meses e haverá sombreamento ótimo mas com o inconveniente do estalo das sementes da mamoneira, mas dará para armar redes entre essas plantas.

    5. Você pode controlar a expansão da mamoneira, de modo que ele não sufoque as plantas definitivas. E quando estas estiverem já fazendo boa sombra, simplesmente erradique as mamoneiras, o que não é difícil, pois tem madeira macia e boa de cortar, com machado ou facão.

  108. antonio carlos ignacio Says:

    Estou realmente sem saber a origem da Arvore Sibipiruna, “comentários, comentários e mais comentários” mas nenhum botanico mE da essa resposta , onde encontrar nome de toras as arvores e principalmente sua origem, de onde veio, como veio parar aqui, por favor digam-me onde encontrar. se for no google qual o site por favor.
    __________
    resposta do blog:

    Antonio Carlos:

    Essas informações você poderia achar na Internet, mas em forma fragmentária. A pesquisa demoraria muito.

    Ideal é você procurar uma biblioteca universitária e procurar livros como:
    ESPÉCIES ARBÓREAS BRASILEIRAS – 4 volumes – edição Embrapa Florestas
    ÁRVORES BRASILEIRAS – 3 volumes – editora Plantarum.

    Quanto à Sibipiruna, em particular, é árvore originária da Mata Atlântica, principalmente na faixa que vai até o litoral, nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro, eventualmente extendendo-se até o sul da Bahia.

  109. sueli aguilar Says:

    há 12 anos cometi o erro de plantar em uma só cova 3 mudas de sibipiruna. contava com a sombra para refrescar uma pequena casa que tenho na minha chácara. atualmente ela esta com mais de 20 metros de altura e possui 4 troncos saindo do solo. estes troncos abrem em forma de ramalhete. hoje moro na casa e fico muito triste cada vez que olho para ela e penso que terei que sacrifica-la. está muito proxima do telhado ampliado com a reforma. procuro uma solução.

  110. Vinícius Carvalho Says:

    Acho q a Sibipiruna jamais deveria ter saído da Mata Atlântica, ou de qqr outra região q não seja urbana. Esta árvore está me prejudicando imensamente a minha vida e de meus vizinhos. Uma desgraça urbana!!! É folha, florzinha, galhos, cola, sem contar q tudo isto c o vento entope calhas, sistema de ventilação dos carros q estacionam embaixo, sujeira visual na rua, bueiro. A única e sómente a única vantagem q vejo nesta desgraça é q eu estou ficando musculosao de tanto varrer esta demônia!!!

  111. Felipe Says:

    Olá, na casa onde moro ha uma Sibipiruna que curiosamente pinga uma solução bem aquosa, procurei um pouco de informação a respeito e descobri que essa “chuva” na verdade seria e excreção de um parasita que suga a seiva da árvore.

    Isso é uma coisa normal?

    A árvore sobrevivera a isso sozinha, ou terei de jogar algum tipo de fungicida?

    Qualquer informação que vier é lucro, porque eu não achei muita coisa a respeito desse assunto.
    __________
    resposta do blog:

    Felipe: só o estudo no local poderia levar a um bom diagnóstico. Mas pelo que temos notícia, não se trata de secreção produzida por parasita. Talvez a árvore esteja se livrando de excesso de líquido ou de algum componente em particular presente no solo, e que lhe é tóxico.

    Seria interessante observar o local onde a árvore está, se não há fossas por perto (mesmo desativadas). Ou se em local próximo não ocorreu, mesmo há anos atrás, deposição de entulho ou lixo. Ou, por fim, se não há nas proximidades rede de esgoto mal conservada.

    É sempre interessante os leitores informarem de que local do Brasil eles são. Em cidades maiores a Prefeitura tem botânicos ou engenheiros agrônomos que se interessarão por examinar a árvore e dar um diagnóstico mais preciso, sem qualquer ônus para o consulente.

  112. Vinícius Carvalho Says:

    Felipe, não é só no seu caso não, aqui em casa tb ela libera tal cola indesejável, só se for muita coincidência pelo fato de estar perto de um bueiro. UMA DESGRAÇA!!!!!

  113. Alberto Says:

    No Rio de Janeiro foram plantadas muitas sibipirunas , que florescem entre Agosto e Dezembro. São plantadas pela Prefeitura
    e as sementes brotam com facilidade quando a arvore foi plantada
    próximo a quintais ou terrenos vazios (o que na zona sul do Rio é
    uma raridade) .
    Quando as favas secam, atraem muitas aves, principalmente
    maritacas , caturritas e outros pássaros; isso é ótimo porque são aves de bando, barulhentas, e se adaptaram a presença do homem.
    O problema é que seus galhos quebram com facilidade com
    vento forte, caindo sobre os carros.–talvez haja necessidade de correção do solo. No Rio é o pessoal da Comlurb(limpeza urbana)
    que faz a poda e só cortam os galhos inferiores fazendo com que
    as arvores fiquem muito altas e sofram mais com os ventos.
    Mas de modo geral , vale a pena pela sua florada amarela e
    pela atração dos pássaros

  114. Júlia Says:

    Por favor, comprei uma casa recentemente e nela tem uma árvore acho que se trata de uma sibipiruna. Ela é relativamente nova, deve ter uns três anos, mas me disseram que até hj não floresceu… quanto tempo leva para iniciar a florescencia? Pode se tratar de uma outra árvore com folhas muito semelhantes que não tenha flores? Obrigada!!
    ____________________
    resposta do blog:

    Júlia: mande fotos da árvore para o e-mail indicado no quadro (em azul) CONTATO, na coluna direita (mais estreita) do blog.

  115. Lúcia Capizzi Says:

    Peguei umas sementes de uma árvore plantada na calçada e consegui produzir algumas mudas, já estão em solo definitivo há 2 anos e com bom desenvolvimento, estou ansiosa pelo período da flora. As mudas foram feitas na minha área de serviço.

  116. Vinícius Carvalho Says:

    vc vai se arrepender até o último fio de cabelo em desejar esta arvore, q deveria nunca estar em local urbano, e sim, lá no campo!!!

  117. Marcelo Says:

    Prezados conhecedores da Sibipiruna,

    Após ter plantado uma sibipiruna aqui em casa em São Paulo, notamos que apareceu de repente um pequeno e ágil mosquitinho que tem uma picada irritante. Por nunca ter tido esse problema antes estou assumindo que esse inseto proveniente da arvore provavelmente atraido pela flor, seiva etc.
    Gostaria de ter maiores esclarecimentos sobre esse assunto e se há alguma maneira de combater o mosquitinho se não para acabar pelo menos para diminuir com eles.

    Obrigado pela atenção.

    Marcelo Pereira
    email: mpcapoeira@hotmail.com

    ____________________
    resposta do blog:

    Marcelo:

    Seria preciso identificar o mosquito, para saber onde as fêmeas põem ovos, e então “trabalhar” nesses locais.

    Mas a fêmeas de moscas e mosquitos não põem ovos em galhos, folhas ou flores. Algumas espécies põem ovos nos frutos carnosos (o que não é o caso da Sibipiruna).

    Seria bom fazer uma pesquisa no ambiente da redondeza, e ver se não há: 1) poças de água parada; 2) monturos de lixo contendo restos orgânicos (de plantas e frutos).

    Existe uma boa probabilidade de o mosquitinho que te atormenta ser do tipo “pólvora”, cujas fêmeas devem por ovos em águas paradas.

    A melhor dica seria você ir até a prefeitura de sua cidade e consultar um agente de saúde, que poderá identificar a espécie com precisão e tomar as medidas necessárias.

  118. Renata Levy Says:

    Estou pretendendo plantar uma Sibipiruna no meu quintal; a área a ser plantada mede cerca de 7m x 7m, é terra (grama) e eu pretendo plantar no centro deste quadrado. Minha dúvida é acerca das raízes, pois a cerca de dois metros do local do plantio passa a rede de esgoto, e tenho receio que as raízes a alcancem. O que me diz? Sugeriria alguma outra árvore?
    Grata
    __________
    resposta do blog:

    Renata:

    Se o terreno de 7 x 7 for plano ou ligeiramente inclinado, e permanecer sem calçamento, creio que não haverá problemas. A água da chuva vai infiltrar abundantemente no solo, e as raízes poderão se aprofundar nele corretamente, pois alcançarão umidade também no subsolo. Desta forma, não deverão aparecer, com o tempo, raizes acima do solo, anormalmente engrossadas junto ao tronco.

    Quanto ao cano de esgoto, o único cuidado é com as emendas. É recomendável protegê-las com duas camadas de manta asfáltica (impermeabilizante), para impedir que micro-vazamentos eventualmente atraiam as raízes da árvore. Sem a vedação perfeita das emendas, as pequenas e finíssimas raízes fasciculadas poderão forçar a passagem e invadir o cano…

  119. jose marcio valentim n gama Says:

    tenho observado algumas arvores parecidas com sibipirunas, mas não florescem, existe alguma arvore tão semelhante ( vitoria es)
    __________
    resposta do blog:

    José Márcio:

    A Sibipiruna, a Canafístula e o Guapuruvu têm floração muito parecidas.
    A época mais provável do florescimento dessas espécies é no início da Primavera. Mas podem também florescer fora de época…

  120. Jose Pinto Figueiredo Figueiredo Says:

    Boa tarde!!! Estamos com um problema em minha calçada. plantamos um Ipê Roxo por aconselhamento de um Horto-paisagista, mas ela cresceu tanto as raízes que levantou toda a calçada quebrando-a quase toda. Ele tem nove anos e já passou da altura da casa, nunca podei, e o terreno onde construi, tem muitas pedra no solo. A pessoa que nos indicou disse que a raíz dele ia para baixo, mas ela se espalhou. quando foi plantado ficou dentro de um quadrado 50X50cm, e a calçada é de ardósia, e vamos trocar por cerâmica. Será que aparando as raízes vai resolver, ou corremos o risco de ela crescer novamente e quebrar tudo??? Por favor me ajudem, minha obra está começando hoje!!!
    Um abraço.
    __________
    resposta do blog:

    José:

    As raízes engrossaram perto do tronco, e levantaram a calçada, porque o solo onde a árvore foi plantada está recebendo quantidade insuficiente de água da chuva. Só entra água no solo naquele quadrado de 50 por 50. E porisso as raízes não se distanciam do tronco e não se aprofundam, porque elas não vão onde não há umidade.

    Corte apenas as raízes que atingem a área de passagem dos pedestres. Deixe as outras, para não enfraquecer a árvore. E aumente drasticamente a área de captação da água da chuva. Deixe com 50 cm de largura (se possível, aumente), mas faça a outra dimensão aumentar. Ficando a área de captação com 50 cm por, digamos, 2 metros de cada lado da árvore. Nessa área não passam pessoas, e poderá ser gramada ou receber plantas pequenas, de jardinagem.

    Recebendo bastante água da chuva, as raízes vão se aprofundar naturalmente solo adentro, não mais levantando calçadas e alicerces…

  121. Bruno Says:

    Boa tarde,

    Plantei uma sibipiruna em minha calçada faz 1 ano e meio, parece que ela não esta desenvolvendo, continua pequena. Existe algum modo de fazer com que ela se desenvolva mais rapidamente? Adubação? Fico no aguardo
    __________
    resposta do blog:

    Bruno:

    As árvores adaptam-se naturalmente a qualquer tipo de solo comum, não havendo necessidade de adubação (que, aliás, em nenhum caso deve ser feita sem uma prévia análise do solo e orientação de um especialista). Elas podem adaptar-se mal a terrenos à beira-mar, e portanto salgados, ou a terrenos que contenham entulho de construção ou lixo. Nesses casos, só substituindo o solo existente à volta do tronco por solo comum.

    Sibipiruna é pĺanta da Mata Atlântica e do Cerrado, ambientes tropical ou subtropical. Plantas assim podem sofrer limitação de crescimento no sul do Brasil (principalmente RS e SC).

    Verifique se a sua planta está sendo irrigada regularmente (cuidado para não encharcar o solo) nos períodos sem chuva. Às vezes as plantas demoram algum tempo até se adaptar ao solo onde foram plantadas.

  122. Marcelo Says:

    Sibipirunas deveriam ser plantadas apenas em matas e florestas, ela não é uma árvore para ser plantada na cidades, mto menos em quintal, tenho 4 sibipirunas no meu quintal e o meu quintal vive imundo, alem da grande quantidade de folhas pequenas e galhos que caem, soltam uma resina na primavera insuportável, entopem minhas calhas, no telhado acumulam uma grande quantidade de folhas causando infiltrações na casa, os carros que ficam em baixo da arvore são totalmente prejudicados, as folhas entopem os respiros de agua do para-brisas fazendo com que infiltre agua no carro, apodrecem a lataria do carro, estão sempre imundos e quando soltam resina é tão forte é fica até difícil abrir o vidro. Tenho que viver com carro imundo, quintal colando e cheio de folhas, infiltrações em casa, no carro, sem falar na estrutura da casa que ela está arrebentando as tubulações por baixo em busca de água. Portanto minha opinião quer ter uma Sibipiruna plante no campo não na cidade, a não ser que vc tenha uma babá só para ela, que não é o meu caso pois não tenho condições.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 74 outros seguidores