O Rio Paraguai em Porto Murtinho

fevereiro 18, 2016

Fotos tiradas na manhã de domingo, 7 de fevereiro de 2016.

O RIO

Braço principal do Rio Paraguai. Ao fundo, Isla Margarita, pertencente ao Paraguai.

Braço principal do Rio Paraguai. Ao fundo, Isla Margarita, pertencente ao Paraguai.

Braço mais largo (e mais raso), entre Isla Margarita e a margem paraguaia.

Braço mais largo (e mais raso), entre Isla Margarita e a margem paraguaia.

Ao fundo, Brasil. À direita, ponta norte da Isla Margarita.

Ao fundo, Brasil. À direita, ponta norte da Isla Margarita.

Descendo o canal principal. Ao fundo, a margem esquerda (Brasil).

Descendo o canal principal. Ao fundo, a margem esquerda (Brasil).

Isla Margarita.

Isla Margarita.

À direita, Isla Margarita. Ao fundo, Porto Murtinho.

À direita, Isla Margarita. Ao fundo, Porto Murtinho.

Ilhas de aguapé descendo o rio. Ao fundo, Isla Margarita.

Ilhas de aguapé descendo o rio. Ao fundo, Isla Margarita.

À esquerda, Porto Murtinho; à direita, Isla Margarita.

À esquerda, Porto Murtinho; à direita, Isla Margarita.

Embarcações de turismo (pesca) na Isla Margarita.

Embarcações de turismo (pesca) na Isla Margarita.

Ainda Isla Margarita.

Ainda Isla Margarita.

Porto Murtinho.

Porto Murtinho.

Barco e chata subindo o rio. Ao fundo, casas da Isla Margarita.

Barco e chata subindo o rio. Ao fundo, casas da Isla Margarita.

Ainda o barco e a chata.

Ainda o barco e a chata.

A CIDADE

Dique junto ao Rio Paraguai, para evitar inundações nas grandes cheias.

Dique junto ao Rio Paraguai, para evitar inundações nas grandes cheias.

Ao fundo, Isla Margarita, vista do dique de Porto Murtinho.

Ao fundo, Isla Margarita, vista do dique de Porto Murtinho.

Rio Paraguai, a jusante de Porto Murtinho. Vista a partir do dique.

Rio Paraguai, a jusante de Porto Murtinho. Vista a partir do dique.

Praça Thomaz Laranjeira.

Praça Thomaz Laranjeira.

Rua Dr. Corrêa. Pista interditada junto à praça, para o Carnaval.

Rua Dr. Corrêa. Pista interditada junto à praça, para o Carnaval.

Museu Dom Jaime Aníbal Barrera. Para informações interessantes sobre este e outros prédios históricos, acessar http://www.portomurtinho.ms.gov.br/turismo/atrativos-historicos-e-culturais .

Museu Dom Jaime Aníbal Barrera. Para informações interessantes sobre este e outros prédios históricos, acessar http://www.portomurtinho.ms.gov.br/turismo/atrativos-historicos-e-culturais .

Prédio da Câmara Municipal.

Prédio da Câmara Municipal.

O Castelinho.

O Castelinho.

Avenida Laranjeiras.

Avenida Laranjeiras.

Hospital Municipal.

Hospital Municipal.

Canteiro central da continuação da Avenida Laranjeiras.

Canteiro central da continuação da Avenida Laranjeiras.

A ESTRADA

De Campo Grande a Porto Murtinho são 450 quilômetros de estradas federais muito boas, e sem pedágio. Com exceção de alguns trechos, que somam cerca de 13 quilômetros (BR-060: 10 km de pistas ruins, depois da saída de Sidrolândia para Nioaque; 1 km de pistas ruins, quase ao chegar à BR-267, próximo à Polícia Rodoviária de Guia Lopes. BR-267: cerca de 2 km, no trecho entre Jardim e a povoação de Alto Caracol.) . Eis alguns trechos, entre Jardim e Porto Murtinho, numa extensão total de 208 quilômetros:

Km 510.

Km 510.

Km 546.

Km 546.

Povoação Alto Caracol (Margarida), a meio caminho entre Jardim e Porto Murtinho.

Povoação Alto Caracol (Margarida), a meio caminho entre Jardim e Porto Murtinho.

Km 584.

Km 584.

Km 666.

Km 666.

CGB Capítulo 4 – Abril de 2003

janeiro 29, 2016

Aberta no dia 27 de março, com a presença do presidente Luís Inácio Lula da Silva, a 65ª Expogrande funcionou até o dia 13 de abril, com destaque para os cantores e grupos conhecidos nacionalmente e para a “Dama da Viola”, Helena Meirelles, que se apresentou no estande da Secretaria estadual de Cultura, no dia 28. Estiveram em Campo Grande Paralamas do Sucesso (dia 29), Tiazinha (31), João Haroldo e Betinho (1º), Mc Serginho (2), Jota Quest (4), Titãs (5), Rick e Renner (6), Bruno e Marrone (11), Zeca Pagodinho (12) e Rappa (13).1

A Acrissul, que promove a feira agropecuária, informou que foram vendidos nesse ano 375 mil ingressos e os negócios fechados somaram 102 milhões de reais.2

A Novela do Aluguel da Camara Municipal

Desde anos anteriores a 1999 a Câmara Municipal funcionava em instalações tidas como inadequadas, com gabinetes de alguns vereadores funcionando em local não adjacente ao Plenário. De repente, em meados daquele ano, surgiu a ideia mágica de “alguma empresa de engenharia” construir um prédio com dimensões e arquitetura adequados, especialmente para alojar o Legislativo Municipal.

A mesa diretora da Câmara, presidida pelo vereador Márcio Matosinhos dos Anjos, lançou então, no Diário Oficial do município (edições de 9 a 11 de julho) um comunicado dispondo-se, por 15 dias (até 26 de julho), a receber propostas de aluguel de prédios, “construidos ou a construir”, que atendessem aos requisitos impostos pelo órgão.3

Em 2 de agosto a Câmara comunicava4 a escolha de uma das propostas apresentadas pela empresa Haddad Engenheiros Associados Ltda: a de construção de um prédio que atendesse a todas as demandas do legislativo municipal. Um dos sócios da empresa, Jorge Haddad, era suplente do senador Lúdio Martins Coelho (PSDB) e já fora Secretário de Obras da Prefeitura Municipal5.

Matosinhos solicitou à Câmara de Valores Imobiliários que fizesse avaliação do terreno (no Jatiuca Park, defronte ao Shopping Campo Grande) apresentado por H.E.A.L. como local onde seria construido o prédio, bem como um orçamento de uma hipotética obra que satisfizesse as especificações do comunicado. A C.V.I. emitiu em 9/8/1999 o Laudo de Avaliação nº 081/1999, informando para o terreno a avaliação de R$ 520.000,00 e para o prédio a ser construido o custo previsto de R$ 2.000.000,006. O valor do aluguel foi estimado em R$ 37.000,00, depois abaixado para R$ 35.000,00 7.

Como a Lei de Uso do Solo só permitia, para o Jatiuca Park, construções residenciais, três dias depois da emissão do Laudo o prefeito André Puccinelli sancionava a Lei Complementar nº 26, que liberava o loteamento dessa restrição, na hermética linguagem de anexos, agrupamentos, tabelas, categorias e subcategorias8.

Em 24 de agosto a Câmara assinava com H.E.A.L. o Contrato de Compromisso de Locação de Imóvel a ser Edificado9 , em que a empresa se comprometia a concluir a edificação no prazo de 6 meses a contar da data da aprovação do projeto na Prefeitura.

Em uma série de reportagens iniciada em 14/4/2000, o diário Primeira Hora reforçava a denúncia, feita ainda em agosto de 1999, de exorbitância no valor do aluguel que a Câmara Municipal pretendia pagar a partir do final de julho de 2000, data em que a instituição tomaria posse do imóvel (um “barracão pré-moldado”, segundo o jornal) da H.E.A.L10 .

Em 2 de maio de 2000 a Promotoria de Justiça da Proteção ao Patrimônio Público e Social e das Fundações instaurou Inquérito Civil para apurar eventuais irregularidades na contratação da Câmara. Esse inquérito resultou numa Ação Civil Pública, asseverando o Ministério Público que os dois contratos firmados com a H.E.A.L. estavam “eivados de vícios, isto é, de cláusulas abusivas que causarão prejuizo ao Erário e, portanto, aos interesses coletivos”11 . Foi solicitada, e atendida de imediato pelo Juiz, medida liminar limitando a R$ 13.949,15 o valor a ser pago pela Câmara a título de aluguel mensal12 . A Promotoria também solicitou que o Juiz determinasse a realização de perícia técnica para estabelecer o justo valor do aluguel a ser pago pelo legislativo municipal.

Depois de o processo dormitar pelos escaninhos burocráticos por quase 3 anos, foi nomeado um perito técnico, o engenheiro Wagner Augusto Andreasi, para determinar o valor do imóvel construido pela H.E.A.L. e estabelecer qual seria o justo aluguel a ser pago pela utilização do prédio. Ambos os valores deveriam se referir à data em que o prédio foi ocupado pela Câmara, ou seja, a 28 de julho de 2000, mas isto, talvez por ser óbvio demais, não foi especificado no despacho do juiz. Lapso que propiciaria toda uma série de equívocos, como veremos mais adiante. O perito judicial nomeado iniciou seus trabalhos no dia 17 de abril de 2003, e teria 5 meses para conclui-lo13 .

Na formulação de seus quesitos para a perícia, o Promotor de Justiça, agora Marcos Antônio Martins Sottoriva, vislumbrou a importância da data, escolhendo porém o período errado (julho de 1999) e apenas para estabelecer contraposição ao valor avaliado pela C.V.I. para o terreno onde se ergueria a sede do Legislativo Municipal14. Mas avançava sobre prerrogativas dos Poderes Executivos municipal e estadual, anunciando pretender intermediar reunião entre prefeito e governador visando a construção de prédio próprio para a Câmara Municipal, “se possível no Parque dos Poderes”15. Pelo que sabemos, essa reunião entre os dois adversários figadais nunca ocorreu.

Atuações Político-Administrativas

Os técnicos italianos foram até o Lixão, ficaram estarrecidos ao ver centenas de pessoas compondo, com a montanha de resíduos, “um cenário injusto e vergonhoso”, e colheram amostras dos materiais ali descartados. A análise laboratorial dessas amostras iria indicar se o lixo poderia gerar, com sua queima, quantidade de energia economicamente viável. A comunidade acadêmica de Campo Grande, entretanto, era contra a queima do lixo, pois via, contraposto ao pretenso benefício econômico (diferença positiva entre “energia produzida” e “custos de instalação e manutenção da usina”), a possibilidade de desastres ecológicos, resultantes de falhas nos sistemas de controle das emissões gasosas.16

No dia 4 o prefeito Puccinelli circulava pelo centro da cidade com o diretor-presidente da Agetran, quando topou com um veículo da Sebival (transportadora de valores) parado em fila dupla na Rua Marechal Rondon, esquina com a Pedro Celestino. O motorista do carro-forte foi intimado a sair imediatamente do local, mas alegou que cumpria normas de segurança da empresa. Inconformado, o prefeito determinou que o carro fosse guinchado, pois “não admitia infrações de trânsito”.17

Informava a prefeitura que, dentro do Projeto Integrado “Mudando para Melhor Buriti-Lagoa”, iniciado em abril de 2001, 266 famílias, antes alojadas precariamente em áreas de risco, já ocupavam unidades habitacionais construídas, sob a coordenação da EMHA, com recursos do BID, da União e da própria prefeitura. O total previsto pelo programa era de 350 habitações.18

Dia 7 a EMHA sorteava 100 unidades habitacionais, no bairro Monte Castelo, construídas pelo PAR – Programa de Arrendamento Residencial, da Caixa Econômica Federal. Cada beneficiário pagaria aluguel mensal de R$ 150,0019 .

O prefeito Puccinelli entregou, no dia 13, em três bairros, 56.045 m2 de asfaltamento e 4.894 m de drenagem20 . No dia 19, Dia do Índio, a municipalidade ofereceu, na Aldeia Urbana Marçal de Souza, almoço para mil pessoas21 .

Em ocasiões diversas o prefeito efetuou reuniões com moradores de bairros, acertando o asfaltamento e a drenagem de ruas. Por esse acordo, os moradores pagariam, em parcelas mensais, 50% do valor que a prefeitura poderia estipular como Contribuição de Melhoria22 .

André Puccinelli anunciou, no dia 28, os percentuais de aumento nos salários dos servidores municipais, que variaram de 5% (para alguns cargos em comissão) até 21,42% (para alguns diretores de escola). Esses aumentos entrariam em vigor a partir de 1º de maio. A folha mensal de pagamentos, segundo o prefeito, iria passar de R$ 12,396 milhões para R$ 14,276 milhões23 .

No dia 29, as tarifas dos serviços de distribuição de água passaram a custar mais 13,2%. Para a primeira faixa de consumo (até 20 metros cúbicos) das residências, foram estabelecidos os valores de R$ 0,57 (por m3 de água) e R$ 0,40 (pelo esgotamento sanitário). O aumento ficou abaixo daquele pretendido pela Águas Guariroba, mas a tarifa deveria ser novamente reajustada em outubro24 .

Ocorrências Policiais

Homem armado invade residência onde se encontram uma mulher e uma criança, estupra a mulher e permanece na casa até o amanhecer.25

No cruzamento Ernesto Geisel – Manoel da Costa Lima, motoqueiro atropela pedestre. Ambos são encaminhados à Santa Casa em estado grave.26

Informava-se que em março haviam ocorrido em Campo Grande 437 acidentes de trânsito (com 270 feridos e 3 mortos), contra 520 em março de 2002 (com 244 feridos e 6 mortos). A maioria dos acidentes envolvendo motoqueiros.27

Vazamento de 9 mil litros de ácido clorídrico, no Jardim Sayonara, causa intoxicações e afasta de suas casas 400 moradores da vila.28

Funcionária da Santa Casa é atropelada defronte ao Hospital Regional e vai a óbito.29

No bairro Morada Verde, cadáver é encontrado, com 9 perfurações de bala.30

Garras captura assaltante da dupla que roubou R$ 42.704,00 da Campobel, e também membro da quadrilha que levou 7 mil reais do Comper em janeiro.31

Uma adolescente de 15 anos denuncia à Polícia que um homem, que acabara de conhecer, lhe ofereceu carona para ir em busca de um emprego e no caminho a estuprou. O acusado é preso, mas depois a mãe da moça informa que ela já conhecia o homem, e até já saira com ele algumas vezes. 32

Homens armados roubam R$ 36.100,00 da agência Unibanco da Avenida Bandeirantes.33

O Detran informava a ocorrência, no mês de março e para Campo Grande, de 437 acidentes de trânsito, tendo sofrido ferimentos 123 motoqueiros (1 deles morto), 33 motoristas (1 morto) e 60 passageiros de carro ou moto (1 deles morto)34 .

Sucessão municipal:

Loester Nunes (PDT) também queria ser candidato a prefeito35.

O deputado Nelsinho Trad procurava aumentar o seu cacife no PMDB tentando afirmar-se como líder da oposição ao governo Zeca do PT36 . Mas procurava não assustar os nativos do seu novo partido: “Sou consciente do meu potencial de trabalho, porque trabalho. Como médico, professor universitário, apresentador do programa Boa Saúde e parlamentar. Ser ou não candidato não é a minha preocupação. Seguirei as recomendações dos lideres máximos do meu partido, e eles terão na minha pessoa o apoio incondicional para o candidato que for escolhido”37.

O deputado federal Moka, outro pretendente, afirmava que Nelsinho Trad não teria regalias quando da indicação do candidato do PMDB38 .

Giroto afirmava não ser “homem de temer desafios” e contava com a simpatia de Puccinelli39 .

Vereadores também se manifestavam procurando a exposição pública para aumentar suas chances de reeleição:

Cabo Almi e Alex do PT voltavam a criticar a cobrança da COSIP40.

Alex prometia acionar a Justiça questionando a concessão feita pela prefeitura à empresa Flexpark “sem ouvir o legislativo municipal”41 .Também apontava o abandono do Parque Ecológico do Anhanduí e anunciava que iria fazer uma “operação pente fino” na administração municipal. Dias depois propunha auditoria nos gastos com as obras do Contorno Ferroviário 42.

O presidente da Câmara Municipal, Youssif Domingos, queixava-se de que a população não percebia o papel importantíssimo da Câmara de Vereadores 43.

Caso Disney

César Disney, entusiasmado e com a fé dos novos crentes, parecia achar que o PT conquistara o Poder (e não apenas cargos nominais, sujeitos a fortes controles do establishment), e adentrou um terreno perigoso o da instrumentalização de denúncias ou delações.

Começou por transmitir queixas e desconfianças comuns a candidatos não contemplados com casas dos projetos habitacionais em que a EMHA era gerente ou partícipe. A queixa era a de que políticos da base do prefeito e seus parentes e amigos estariam usufruindo de facilidades quanto ao acesso àquelas casas . E insinuou que, num caso específico, um dos maiores críticos do governo estadual fora também agraciado, talvez como paga pelo seu empenho.44

E César foi mais longe: em discurso na Câmara Municipal, disse ter gravação em que o chefe de gabinete do prefeito Puccinelli, Osmar Jerônimo, dizia a um interlocutor: “Você não deve mexer com gente poderosa; a corda sempre arrebenta do lado mais fraco”. E o teria aconselhado a abortar as denúncias (ou delações) sobre a EMHA.45

Saude

No Hospital Regional, o pessoal de enfermagem esteve em greve do dia 3 ao dia 14, reivindicando pisos salariais de R$ 680 (para auxilar de enfermagem), R$ 750 (técnicos de enfermagem) e R$ 1.380 (enfermeiros)46 .

Enquanto isto, a Santa Casa continuava a enfrentar superlotação (agora secundada nesse item pelo Hospital Universitário) e sofria com um quadro funcional deficiente. Seu Pronto Socorro (juntamente com o do HU) apresentava deficits crônicos47 . Mas o BNDES acenava com a possível concessão de um empréstimo no valor de R$ 15,9 milhões48 .

____________________

1 Midiamax 41797, 41892, 41990, 42040, 42196, 42358, 42488, 42640, 42721, 42907, 44043, 44075 e 44156.

2 Midiamax 44428.

3 Diogrande 369, 9/7/1999, pág. 7.

4 Diogrande387, 4/8/1999, pág. 7.

5 Primeira Hora 246, 11/5/2000, pág. 5.

6 TJMS, AC 16990, acórdão de 19/3/2007.

7 Primeira Hora 246, pág. 5.

8 Diogrande 394, 13/8/1999, pág. 1.

9 Diogrande 408, 8/9/1999, pág. 7.

10 Primeira Hora 226 (14/4/2000), 227, 229, 230 e 231.

11 Primeira Hora 239, 3/5/2000, pág. 5; Laudo Pericial de Arbitramento de Aluguel, Eng. Wagner Augusto Andreasi, fls. 2.

12 TJMS, AC 16990, acórdão de 19/3/2007.

13 Laudo Pericial citado, fls. 3; Midiamax 44814.

14 Laudo Pericial citado, fls. 14, quesito 3 da Promotoria.

15 Midiamax 44814.

16 Midiamax 42397, 42405, 42435, 43162 e 43163.

17 Midiamax 42861.

18 Midiamax 43165.

19 Midiamax 43179.

20 Midiamax 44116.

21 Midiamax 45005.

22 Midiamax 45325, 45790 e 46017.

23 Midiamax 46118 e 46346.

24 Midiamax 46252 e 46258.

25 Midiamax 42369.

26 Midiamax 42949.

27 Midiamax 43178 e 43213.

28 Midiamax 43843.

29 Midiamax 44979 e 44998.

30 Midiamax 45133.

31 Midiamax 45400 e 45403.

32 Midiamax 45417 e 45422.

33 Midiamax 46193 e 46129.

34 Midiamax 43213.

35 Midiamax 42373.

36 Midiamax 42520 e 43031.

37 Midiamax 43031.

38 Midiamax 43168 e 44261.

39 Midiamax 42846 e 43340.

40 Midiamax 42437.

41 Midiamax 43375.

42 Midiamax 45543, 45716 e 46155.

43 Midiamax 44235.

44 Midiamax 46326 e 46327.

45 Midiamax 46328 e 46331.

46 Midiamax 42636 e 44360.

47 Midiamax 43733, 43951, 45701 e 46180.

48 Midiamax 44006.

Crianças em Bonito, num Dia Chuvoso

janeiro 11, 2016

Manhã de 10 de janeiro de 2016.

No Portal dos Lagos, condomínio residencial em instalação :

Pinguela.

Pinguela.

Vertedouro de um dos lagos.

Vertedouro de um dos lagos.

Inexperiência: a flecha saiu pela culatra, batendo no atirador.

Inexperiência: a flecha saiu “pela culatra”, batendo no atirador.

 

Em escada, curtindo o verde.

Em escada, curtindo o verde.

De repente, a volta da garoa.

De repente, a volta da garoa.

A garoa parou.

A garoa parou.

A garoa voltou.

A garoa voltou.

A décima tentativa.

A décima tentativa.

Numa pracinha de vila :

Gastando energia.

Gastando energia.

Em casa alugada :

Na mosca.

Na mosca.

Perto do alvo.

Perto do alvo.

Perto do alvo.

Perto do alvo.

Na Praça da Liberdade :

Levantando vôo...

Levantando vôo…

CGB Capítulo 3 – Março de 2003

janeiro 6, 2016

cgb3c

No Carnaval, com início em 28 de fevereiro e término na Quarta-Feira de Cinzas, 5 de março, os principais eventos foram os 4 bailes ao ar livre realizados, a partir das 21 horas e 30 minutos, na Avenida Fernando Correa da Costa. A FUNCESP contratou, na Bahia, Kid Monteiro e a Banda Swing, bem como a cantora Lua. As aberturas foram feitas pelo grupo local Feitiço Moleque.1

Houve também o tradicional desfile das Escolas de Samba, na Rua 14 de Julho, nos dias 1 e 2, com patrocínio do Governo do Estado. A Unidos do Cruzeiro foi a campeã do primeiro grupo, e os Catedráticos do Samba os campeões do segundo grupo.2

Na Guerra dos Números, para o desfile os organizadores falavam em 50 mil pessoas por evento; para o Carnaval de Rua na Avenida Fernando Correa, também 50 mil por evento. Nestes últimos, considerando-se que o espaço livre (pistas e passeios) entre a Calógeras e a 14 de Julho é de 7 mil metros quadrados (35 x 200), pode-se reduzir os números maiores pretendidos para 40% ou 50%. Vale o mesmo quanto ao número de pessoas presentes em cada desfile das escolas de samba.

Terminadas as festas, a Santa Casa contabilizou a entrada, em seu Pronto-Socorro, de 57 pessoas, sendo 47 vítimas de acidentes de trânsito, 4 de agressões, 4 de esfaqueamentos e 2 de baleamentos.3

Ocorrências Policiais

No decorrer do mês foram se acumulando os casos policiais, de que retratamos os mais graves ou inusitados:

No Jardim Antártica, saída para Sidrolândia, à 1 hora da madrugada do dia 1º, um casal namorava no carro, defronte à casa da mulher. Um homem os surpreendeu, prendeu o namorado no portamalas do carro e circulou com o veículo pela cidade, procuranda fazer saque na conta bancária da mulher. Não conseguindo, o sequestrador voltou à vila e estuprou a mulher num terreno baldio.4

M.C.R., de 42 anos, que pilotava uma moto Honda sem usar capacete, ficou gravemente ferido, com traumatismo craniano, afundamento da face e corte profundo na região occipital, quando colidiu contra a moto de L.B.S., de 19 anos, que usava capacete e sofreu apenas escoriações leves.5

Na manhã do dia 6, Rubens C.R., mecânico na localidade de Bandeirantes, trafegava com uma caminhoneta D-10 pela Avenida Coronel Antonino, rumo ao centro da capital, quando conseguiu atropelar 2 cavalos que atravessavam a pista, matando os animais. O veículo, que fora emprestado a Rubens, ficou muito danificado, e o motorista sonhava obter indenização do proprietário dos equinos.6

Ainda no dia 6, um ciclista que trafegava pela BR-060, km 350, saída para Sidrolândia, foi atropelado por um caminhão com placas daquela cidade. O ciclista morreu.7

Na Quarta-Feira de Cinzas dois homens armados invadiram a casa do vereador Celso Ianase, renderam sua esposa e 2 filhos, e roubaram 5 mil reais em jóias, cerca de 500 reais em dinheiro e ainda um aparelho DVD e roupas diversas.8

No Lixão, disputando acesso a materiais recicláveis, R.L.S. disparou 8 tiros de revólver contra A.S., de 26 anos, matando-o.9

Na Penitenciária de Segurança Máxima, 2 presos foram assassinados por companheiros de cela, que utilizaram chuchos como arma.10

Atuações Político-Administrativas

O prefeito André Puccinelli entregou, no mês, as seguintes obras:

a) No bairro Santa Carmélia, policlínica odontológica com 4 gabinetes.11

b) No Itamaracá e no Marajoara, quadras poli-esportivas com 638 m2, cercadas e com iluminação.12

c) Drenagens e pavimentações no Santo Eugênio (9 mil m2 de asfalto e 733 m de drenagem) e no Jardim das Hortências (30.500 m2 e 1.500 m).13

d) Uma praça do Jardim Colonial ganhou quiosque, play-ground e árvores.14

Em seu primeiro mandato o prefeito Puccinelli tentara implantar na cidade uma usina para aproveitamento do lixo. Mas em virtude de irregularidades na formação do consórcio construtor, descobertas pela Polícia Federal (no episódio que ficou apelidado de Lixogate), teve de desistir. Mas agora, depois de visitar a cidade-gêmea de Campo Grande (Turim), na Itália, o prefeito trouxe consigo técnicos daquele país para averiguar a viabilidade de um novo projeto. E para cercar-se de garantias, procurava obter a aprovação antecipada do Ministério Público Estadual, com que mantinha excelentes relações.15

* * *

Fora da alçada da prefeitura, tivemos os seguintes destaques:

Dia 28 a Plaenge lançava o seu segundo edifício residencial de 2003: o “Renoir”, junto ao Shopping Campo Grande. Com 29 andares e 2 apartamentos por andar (com 326 e 331 m2), seria inaugurado em 30 de agosto de 2005.16

o governo do Estado inaugurava um laboratório com sequenciador de DNA, ao custo de 1 milhão de reais. Anteriormente os exames solicitados pelo Judiciário eram encomendados (cerca de 50 por mês) a laboratórios particulares, que cobravam cerca de 500 reais por exame.17

Encargos para a população

Descobriram os profissionais liberais que a partir desse mês passariam a pagar, mensalmente, um ISS (em valor fixo, estimado) 120% maior que o cobrado até o mês anterior. A Comissão de Justiça da Câmara Municipal e membros do Fórum dos Profissionais Liberais reuniram-se com o prefeito, que precisou explicar (aos liberais) e lembrar (aos vereadores) que o aumento resultara de lei aprovada no ano anterior, pela própria Câmara, e que os valores não poderiam ser alterados, pois, com o princípio da anterioridade, uma correção não poderia entrar em vigor no mesmo ano de sua ocorrência.18

A alta de 26% na tarifa de ônibus, ocorrida em fevereiro, provocou substancial aumento do índice mensal de inflação da cidade, índice que subiu a 2,33%.19

Iria vigorar, a partir de 20 de abril, a nova tarifa de água e esgoto, aumentada em 27,2%.20

A Enersul pretendia aumentar suas tarifas em 42,64%. Mas a ABCCON, apoiada por alguns vereadores e alguns deputados, fazia panfletagem contra o índice de reajuste.21

Vereadores e Holofotes

Iniciada a nova legislatura, em 17 de fevereiro, alguns vereadores logo se colocaram sob os holofotes da Mídia:

Youssif Domingos, que anos mais tarde pretenderia trazer o Oceano Atlântico para litorar terras sulmatogrossenses22, já agora, como presidente da Câmara, almejava transformá-la numa espécie de Divinal Entidade, captando os reais anseios da população e providenciando olimpicamente para que as outras instituições, municipais, estaduais e federais, lhes dessem adequado provimento.23

César Disney não ficou muito atrás, incursionando por vários temas ligados ao trânsito, como sinalização, passeios livres no último domingo do mês, planilhas das empresas de transporte coletivo, e até cobrança, ao seu ver indevida, pela implantação de asfalto nas ruas da periferia.24 Sem contar o suspense em torno de sua nova filiação partidária.

Alex do PT envolveu-se em uma ampla gama de assuntos, como a questão da EMHA, transporte coletivo, “indústria da multa”, reajuste da tarifa de energia e até serviço 0800 na Câmara.25

Quanto a ações efetivas, tivemos no mês:

Youssif visitou de surpresa o Posto de Saúde de Vila Almeida, onde teria encontrado uma fila com 400 pessoas. Consultas com especialistas “costumavam demorar 3 meses”.26

Celso Ianase, visitando a Santa Casa, encontrou 60 adultos e 50 crianças instalados precariamente em macas nos corredores.27

Vereadores aprovaram lei que procurava conter a fúria arrecadadora da sociedade civil ECAD, proibindo a cobrança de “direitos autorais” relativos a músicas tocadas em eventos de caráter filantrópico.28

Compromissos públicos

Youssif29 :

A Câmara será independente e vai frustrar quem pensar que ela será subserviente ao executivo”.

Defenderei as prerrogativas administrativas e políticas da Casa, sem permitir a exposição pública dos membros”.

Práticas políticas

Depois de elogiar o prefeito Puccinelli, pelas muitas obras que teria implantado em sua região (Aero Rancho), Robson Martins, do PSDB, concluiu:

Cada vereador tem os seus interesses e visam a sua reeleição. Penso que se eu ficar ao lado do prefeito, minha região se desenvolverá mais rapidamente. Com isso eu terei a minha reeleição garantida. Acontecerá o contrário se eu trabalhar contra o prefeito”.

______________________________

1 Midiamax 38258.

2 Midiamax 38393 e 38876.

3 Midiamax 38818.

4 Midiamax 38521.

5 Midiamax 38611.

6 Midiamax 38985.

7 Midiamax 39086.

8 Midiamax 39106.

9 Midiamax 39304.

10 Midiamax 40316.

11 Midiamax 40945.

12 Midiamax 41054.

13 Midiamax 41994.

14 Midiamax 42032.

15 Midiamax 42265, 42285 e 42287.

16 Midiamax 41872.

17 Midiamax 41950.

18 Midiamax 38044 e 39484.

19 Midiamax 39540.

20 Midiamax 39534, 40530 e 41910.

21 Midiamax 39744 e 40110.

23 Midiamax 35590, 35593, 35859, 36706, 36758, 36761, 36861, 36892, 37202, 37360, 37986, 40434 e principalmente 36629 e 38616.

24 Midiamax 34467, 37906, 39012, 39635, 39648, 39909 e 39922.

25 Midiamaz 36886, 38832, 39919, 41078, 41316 e 41913.

26 Midiamax 39147.

27 Midiamax 39924.

28 Midiamax 40834 e 45552.

29 Midiamax 36629.

Oh, Miss Hannah

janeiro 3, 2016

“Descobri” Bix Beiderbecke há uns 20 anos atrás, quando comprei um CD da “Folio Collection” dedicado a ele e à sua banda. Magníficas interpretações, com destaque, pelo meu gosto, para “Thou Swell” e “Oh, Miss Hannah”.

“Thou Swell”, que muitos consideraram, numa certa época e lugar, como a “música mais linda do mundo”, na realidade vale só por seu refrão, a única parte que mereceu a atenção de intérpretes como Nat King Cole, Natalie Cole, Sarah Vaughan e outros. É de fato um refrão marcante, e ainda mais no trumpete de Bix. Mas nada que justifique aquela avaliação.

Já “Oh, Miss Hannah” é música bonita por inteira, do começo ao fim. E aí Bix e banda novamente se destacam. A melodia é da compositora Jessie L. Deppen, de Cleveland, Ohio, da qual nunca mais se ouviu falar. Durante décadas, não me preocupei com a letra (em Bix, apenas as estrofes iniciais são vocalizadas), mesmo porque vinha num inglês arrevesado (com a grafia dos negros dunidenses da época, que troca “the” por “de”, “are” por “am”, “ear” por “heah”, “river” por “ribber”, etc.). Mas ao final de 2015 resolvi “pagar para ver”. Não se encontrava a letra (words, lyrics) disponível na Internet, a não ser incrustrada em imagens de partituras musicais. Localizei uma partitura original, de 1924, no saite da National Library of Australia (NLA), neste linque: http://nla.gov.au/nla.obj-177667874/view#page/n1/mode/1up .

Resolvi traduzir a letra, de Thekla Hollingsworth (outra desconhecida), esperançoso de encontrar um belo poema (tanto que desafiei o poeta fluminense Henrique Pimenta, do Bar do Bardo, a fazer o mesmo). Mas se trata de um palavreado simples, um poema (mal) inspirado por uma melodia. Que pena! Mas seguem abaixo o texto em inglês e tradução (também não muito inspirada) que fiz:

Oh, Miss Hannah
Ain’t you comin out tonight ?
De mockin’ bird am singin’
An’ de moon am shinin’ bright.
De roses am a noddin’
an’ a swayin’ in de breeze;
on yo’ Sunday go to meetin’ clothes
an’ come along please.

Cain’t you heah de banjo strummin’,
Cain’t you heah de fiddle call ?
Cain’t you heah de folks a dancin’
in de Odd Fellow Hall ?

We’ll go strollin’ down de levee
by de light of de moon,
A listnin’ to de fiddle
An’ de mockin’ birds tune.

Oh, Miss Hannah,
de cotton fields am white as snow;
Way out on de ribber,
I can heah do’s steamboats blow.

De music an’ de moon-light
hab got me in a trance
Oh, Laydy me, Miss Hannah
Le’s go to dat dance.
Miss Hanna, le’s go to dat dance.

Oh, Miss Hannah
Vamos sair esta noite?
A coruja ensaia canto
E o luar é doce açoite.
A roseira faz acenos
a balançar com a brisa;
Vista sua roupa de festa,
venha cá, me tranquiliza.

Ouve no banjo o dedilhar,
Ouve o chamado do violino?
Ouve seu povo a dançar
No Salão dos Caras Finos?

Andaremos pelo dique
debaixo da luz do luar
ouvindo os tais violinos
e o som da coruja a piar.

Oh, Miss Hannah,
Branco está o algodoal;
nas mansas ondas do rio,
balançam barcos, igual.

A música e o luar
Me fazem em transe entrar
Oh, por Deus, Miss Hannah,
Vamos lá para dançar.
Miss Hannah,
vamos pra dançar.

A música, com vocal de Bing Crosby, pode ser ouvida aqui.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 98 outros seguidores