O gato Dindim

Não se sabe ao certo se é uma família que adota um gato, ou se é o gato que adota uma família. Mais provável é a segunda hipótese. Com o Dindim aconteceu assim: ele apareceu no portão da casa, viu a cachorra Pituka, recuou estrategicamente, esperou aparecer uma criança e então tratou de mostrar-lhe charme, desvalimento e aquele miadinho de S.O.S. que derrete qualquer coração, seja de criança, seja de adulto…

Depois disso, o Dindim foi ficando. No começo enfrentou o ciúme da cachorra, que odeia igualmente gatos e ratos. E numa das primeiras noites de convivência no quintal Pituka o “pegou de jeito” e quase estraçalhou o coitado. Se não fosse alguém acudi-lo, aos gritos, hoje seria um ex-gato. E Dindim ficou alguns dias num emagrecer contínuo, quase cadavérico. Mas aí sacou a segunda das suas 7 vidas e começou a se recuperar.

Hoje, quinze dias depois, não cresceu muito, mas está forte e “pesado como chumbo”. Quando não está brincando no quintal, com folhas, rabos de cachorra (perigo!) ou seres imaginários, procura alguém para um colo reconfortante. Se não acha ninguém, ou se cansa do contato com esses estranhos seres humanos, procura um canto qualquer (tem uma atração mórbida por livros, principalmente aqueles que estão no fundo da estante) para se encolher, ou o sofá para se esticar todo.

Mas, pergunta o leitor, por que esse nome Dindim? É que um gato é como o dinheiro (din-din): se você corre atrás dele, ele desaparece. Mas se o chama com piss-piss-piss muito jeitosos, ele vem pro seu colo numa boa…

Nas três primeiras fotos: Dindim, surpreendido nessa estranha posição ergonômica, encara a câmera, depois o fotógrafo, e se pergunta o que os dois pretendem com esse assédio incômodo. Nas três fotos seguintes Dindim espicha e encolhe, descansando e oxigenando, alternadamente, todas as partes do corpo.

Brinca, Dindim; ronrona, Dindim; dorme, Dindim! Aproveita, porque logo a infância acaba e você será atraído por seres aparentemente iguais a você, mas com alguns detalhes diferentes. E quando você quiser se aproximar desses seres aparecerá um outro gato, muito maior do que você, que lhe dará surras constantes para expulsá-lo do bairro. Mas aí já é uma outra história…

gatodindin_01

gatodindin_02

gatodindin_03

gatodindin_04

gatodindin_05

gatodindin_06

Anúncios

Uma resposta to “O gato Dindim”

  1. Lau Says:

    Esta é boa! Gato é um animal muito especial. Não é qualquer pessoa que um gato confia! Muitos espertos.

Comentários encerrados.


%d blogueiros gostam disto: