Capítulo 10

TIO SILAS É PRESO

AS TERRÍVEIS PALAVRAS QUE ELE DISSE nos deixou gelados. Por meio minuto nós não pudemos fazer qualquer movimento, mas logo em seguida corremos para levantar o velho e recolocá-lo em sua cadeira. E Benny lhe fez muitas carícias, tentando confortá-lo; e a velha Tia Sally procurava fazer o mesmo. Tom Sawyer parecia petrificado, decerto pensando que a descoberta do cadáver, ao invés de ajudar o pastor, tinha tornado a sua situação mil vezes pior. Se ele não tivesse sido tão ambicioso de glórias, e tivesse desistido das buscas, como os outros fizeram…

Mas Tom logo se recobrou e disse:

– Tio Silas, não diga aquilo de novo! É perigoso, e além disso não há nem sombra de verdade no que o senhor falou.

Tia Sally e Benny estavam agradecidas por ouvir o garoto falar assim, e repetiram, para o velho, os mesmos argumentos. Mas o velho pastor balançou sua cabeça triste e sem esperanças, e enquanto as lágrimas rolavam pelo seu rosto, balbuciou:

– Não, eu fiz aquilo. Pobre Júpiter, eu fiz aquilo!

Então Tio Silas firmou um pouco a voz e pôde falar sobre o que acontecera ao final da tarde, no dia em que Tom e eu chegamos à fazenda. Júpiter o havia aborrecido e provocado tanto que ele ficou meio louco de raiva. Então, agarrou um pedaço de pau que havia por perto e deu um golpe na cabeça do sujeito, que caiu de costas. Quando tomou consciência do que fizera, e já arrependido, Tio Silas ajoelhou-se ao lado do corpo, levantou a cabeça do ferido com as mãos, pedindo que ele falasse alguma coisa, que dissesse que não estava morto. Depois de alguns segundos, quando percebeu que Júpiter mantinha por suas próprias forças a cabeça erguida, o velho levantou-se, pulou a cerca e saiu correndo, certo de que o homem ia se recuperar logo.

– Mas foi apenas o medo que fez com que ele juntasse as últimas forças tentando firmar a cabeça. Decerto quando eu saí ele perdeu o resto de consciência e permaneceu ali no chão, sem ter ninguém que o socorresse. E então morreu…

O velho homem agora gemia e chorava, e dizia que era um assassino, e que ele havia desgraçado a sua família, e que ia ser pego e enforcado. Mas Tom disse:

– Não, Tio Silas, o senhor não vai ser pego. O senhor não matou ele! Uma ovelha não poderia tê-lo matado! Foi alguma outra pessoa que fez isto.

TIO – Sim, sim, fui eu quem fez aquilo; ninguém mais. Quem mais tinha alguma coisa contra ele?!

Tom teve uma idéia súbita, e disse :

– Calma lá! Mas alguém deve ter enterrado o corpo! Agora, quem foi que…

Meu companheiro calou-se de repente, e eu sabia por quê. Quando ele disse essas palavras, eu logo me lembrei daquela madrugada, quando vimos Tio Silas saindo para a plantação de fumo com uma pá nos ombros. E Benny também tinha visto, pois ela havia comentado o fato no dia seguinte. No instante em que Tom Sawyer percebeu a besteira que ia dizer, imediatamente mudou de assunto, e pediu ao velho e a todos os outros, que não contassem a ninguém sobre a participação do Tio Silas, porque assim ninguém desconfiaria dele; caso contrário, isso prejudicaria não apenas a ele como também a toda a família, não trazendo benefício a ninguém. Afinal o pastor prometeu ficar calado, aguardando os acontecimentos. Nós ficamos aliviados, e procuramos animar o velho homem. Tom discursou:

– Examinem a qüestão durante um minuto. Aqui está Tio Silas, que tem exercido a função de pregador, por todos estes anos, sem nada receber por isso. Todos estes anos fazendo o bem, com toda a sua alma e usando todos os meios de que pôde dispor, sem nada receber em troca. Ele sempre foi amado e respeitado por todos, e sempre foi pacífico e zeloso com os próprios negócios. Tio Silas seria o último homem do lugar que tocaria em outra pessoa para fazer-lhe mal, e todos sabem disso. Suspeito, ele? Ora, não há nada mais improvável do que…

Nesse momento, ouviu-se um tumulto lá fora, junto à porta principal da casa. E uma voz tenebrosa, que parecia ser a do xerife, falou, dirigindo-se ao Tio Silas:

– Pela autoridade do Estado do Arkansas, eu prendo o senhor pelo assassinato de Júpiter Dunlap!

Foi horrível. Tia Sally e Benny correram para abraçar o Tio Silas, gritando e chorando. E Tia Sally o segurava pelo braço, dizendo ao xerife que não deixaria que o velho fosse levado. E lá fora os empregados da fazenda também choravam e gritavam.

Mas as autoridades retiraram o Tio Silas da casa e o foram levando para a única cela da cadeia do lugarejo, e todos nós o acompanhamos para dizer-lhe um último adeus. Só Tom Sawyer destoava do resto, mostrando-se muito confiante, e dizendo a mim:

– Nós esperaremos por uma noite bem escura, e depois de enfrentarmos muitos perigos, nós o tiraremos de lá, Huck. E todos sempre falarão disto, e seremos célebres!

Mas quando Tom foi cochichar o plano para o Tio Silas, este frustrou todo o esquema. O velho pastor disse que não, que era seu dever ficar onde a Lei determinasse, e que ele ia permanecer na cela até o fim, mesmo se não existisse ali nenhuma porta. Isto deixou Tom um tanto perplexo e desapontado, mas o garoto acabou se conformando.

Entretanto, Tom sentia que era sua obrigação libertar o Tio Silas, e disse a Tia Sally que não se preocupasse, pois ele iria trabalhar noite e dia, até trazer Tio Silas de volta, inocentado. A boa velha foi muito amável com ele, agradecendo-lhe e dizendo ter certeza de que ele daria o melhor de si. Em seguida, dirigindo-se a nós dois, pediu que ajudássemos Benny a cuidar da casa e das crianças, pois enquanto não saísse o julgamento, ela ficaria morando ali próximo à cadeia, junto com a mulher do carcereiro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: