Rourea induta

Pequena árvore, muito comum nos Cerrados.

Nome científico: Rourea induta Planch.

Nomes populares: Botica Inteira, Pau-de-Porco e Campeira.

Exemplares existentes em Chácaras dos Poderes, zona suburbana de Campo Grande – MS.

1. Aspecto Geral

Foto datada 11/09/2008. Manhã. Arvoreta com 1,5 metro de altura.

Altura: 1,8 metro. Foto datada 12/01/2011.

2. Floração

Panículas florais em início de crescimento. Foto datada 26/10/2009.

Flores e botões prestes a abrirem. Mesma data da foto anterior, tal como as fotos seguintes deste item "Floração".

3. Flores

As flores têm cerca de 1 cm de diâmetro.

Como as flores da foto anterior, as desta foto são brevistilas, ou seja, os pistilos se encontram numa posição baixa em relação aos 10 (5+ 5) estames.

Novamente flores brevistilas.

Flor longistila. Embora fora de foco, os 5 pistilos se alongam a partir da zona inferior, pilosa, e alcançam os estames maiores.

4. Frutos

Os frutos da Rourea induta expelem lentamente as sementes.

A parte feminina da flor é composta por 5 carpelos livres. Assim, todos podem se transformarem em frutos. Na prática, parece que apenas 1 (na maioria das vezes) ou 2 se desenvolvem completamente, formando 1 ou 2 frutos (como no presente caso).

Quatro carpelos fecundados, apenas 2 darão frutos viáveis.

5. Sementes

6. Folhas

Folhas novas vindas com a floração. A pilosidade retém gotículas do orvalho da manhã.

Folhas novas temporãs.

Dez folhas, retiradas de 10 plantas diferentes. Elas variam bastante, em forma e tamanho, mesmo num mesmo exemplar.

As mesmas folhas da foto anterior, agora mostrando os versos.

Folíolos terminais (frente) das folhas mostradas anteriormente.

Os mesmos folíolos, vista dos versos.

7. Tronco

Tronco com 3 cm de diâmetro. Altura do exemplar, 1,8 metro.

Diâmetro 3 cm, altura 1.7 metro.

Fontes bibliofotográficas:

1. “100 Árvores do Cerrado“, de Manoel Cláudio da Silva Júnior, edição Rede de Sementes do Cerrado, Brasília, 2005, págs. 200 e 201.

2. “Cerrado Espécies Vegetais Úteis“, de Semiramis Pedroso de Almeida, Carolyn Elinore B. Proença, Sueli Matiko Sano e José Felipe Ribeiro, edição Embrapa, Planaltina – DF, 1998, págs. 314 e 315.

3. Cerrado Flora de Pedregulho – SP (web version), de Denise Sasaki e Renato de Mello-Silva — Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo, fotos 22 e 23.

4. Rourea induta, in Neotropical Live Plant Photos, do The Field Museum.

5. “Biologia reprodutiva de Rourea induta Planch. (Connaraceae), uma espécie heterostílica de cerrado do Brasil Central”, de Eddie Lenza, Joice Nunes Ferreira, Hélder Consolaro e Fabiana de Gois Aquino.

6.”Composição Fitoquímica e Atividades Biológicas de Rourea induta Planch, Connaraceae”, dissertação de Milena Kalegari, UFPR, 2009.

Anúncios

Uma resposta to “Rourea induta”

  1. Márcia Says:

    Utilizando uma pequena quantidades de entrecasca desta árvore com um pouquinho de água que sendo batida forma uma escuma. Adoçando parece com gemada só que tem um leve sabor amargo.

Comentários encerrados.


%d blogueiros gostam disto: