O Gato e a Cadela

Novinho, recém-chegado a uma casa estranha, onde foi acolhido, o gato Dindin quase foi, no dia seguinte, estraçalhado pela cadela Pituka. Só não aconteceu o pior porque uma criança acudiu nos últimos segundos. E o gato ficou, durante 1 semana, “com o pé na cova”. Mas se recuperou, e tinha tudo para considerar Pituka como um ser endemoniado, desses que merecem a condenação e o Fogo Eterno – a contar de ontem.

Porém, contrariando a anti-lógica da Intolerância, muito comum nestes tempos em que Lula é espinafrado por haver cumprimentado Collor numa cerimônia pública (que diria Jesus Cristo desta história de não poder perdoar o inimigo, de ser obrigatório dar-lhe, ao inimigo, uma “solução final”?), paulatinamente foram ocorrendo adaptações mútuas. E hoje a cadela estraçalha o gato apenas simbolicamente; e o gato acredita nas boas intenções da ex-inimiga, e mais ainda nas próprias unhas, que poderão ser acionadas, a meio-pau (como aviso) ou integralmente, a qualquer momento…

Com vocês, Dindin e Pituka.

cat_dog_01

cat_dog_02

cat_dog_03

cat_dog_04

cat_dog_05

cat_dog_06

cat_dog_07

cat_dog_08

cat_dog_09

cat_dog_10

cat_dog_11

cat_dog_12

Anúncios

Uma resposta to “O Gato e a Cadela”

  1. roselene duarte Says:

    coitada da pituka, voce pegou pesado agora de chamar ela, de um ser endemoniado, ha! ha! ri tanto dessa sua ultima comparação que pensando bem agora ela vai ate sentir falta do dindim se um dia ele não estiver mais por ai.

Comentários encerrados.


%d blogueiros gostam disto: