A floração dos Ipês-Rosas

Campo Grande, manhã de 23/06/2009.

ipê_rosa_23

Este magnífico exemplar fica nos fundos de um quintal contíguo ao Centro de Convenções Albano Franco, na Avenida Mato Grosso. Tem cerca de 15 metros de altura.

ipê_rosa_24

A copa do mesmo exemplar.

ipê_rosa_25

A copa, com maior aproximação.

ipê_rosa_26

O Ipê Rosa distribui beleza pelo céu e pela terra…

ipê_rosa_28

O interior de uma flor de Ipê Rosa.

ipê_rosa_29

Próximo daquele exemplar magnífico, mas no canteiro central da Avenida Mato Grosso, outro exemplar mostra sua beleza, ainda permeando flores e folhas. Eis um cacho florido.

ipê_rosa_30

Outro cacho.

ipê_rosa_31

Uma visão lateral das flores.

ipê_rosa_32

Outra visão lateral.

ipê_rosa_33

Num mesmo cacho, flores e botões prestes a abrirem.

ipê_rosa_34

A parte inferior de um cacho floral, vista contra a luz.

ipê_rosa_35

Visão inferior de outro cacho.

ipê_rosa_36

Uma flor do exemplar do canteiro da Mato Grosso. Na parte central, o estilete, receptáculo que leva os grãos de pólen até o ovário. Ao seu redor, os 4 órgãos masculinos (estames), exibindo na ponta as anteras (que produzem e liberam o pólen).

ipê_rosa_37

Salvo melhor juízo, todas as árvores mostradas em sua floração são da espécie Tabebuia heptaphylla. Esta folha, com sete folíolos (rara nos exemplares examinados) é de um exemplar jovem no referido canteiro central.

Anúncios

10 Respostas to “A floração dos Ipês-Rosas”

  1. lins Says:

    Lindo, náo?
    se nao me engano, na època em que o Puccinelli era prefeito foram plantadas muitas dessas àrvores, com a intencao de fazer de CG a capital dos ipes. náo sei no que deu. espero que continuem florindo por aì.

  2. Vinicius Says:

    Espetacular!

    Eu achei que este fosse o Ipê Roxo (também chamado Ipê Roxo-bola, quando floresce em cachos redondos como este)… as duas espécies do roxo que conheço são o T. heptaphylla e o T. impetiginosa…

    Os rosas que conheço pertencem principalmente à espécie T. pentaphylla, e florescem num tom de rosa bem mais claro, e possuem folíolos maiores, mais largos e de aspecto pouco mais “suculento” e brilhoso… Aqui em Vitória-ES temos centenas no paisagismo urbano. Já os Ipês Roxos temos poucos.

    Este espécime da foto é maravilhoso!
    _____
    do blog:
    Vinícius:

    A terminologia popular varia muito. Achei que chamar essas flores de roxas seria um pouco forçado. Vistas de perto elas têm, mesmo, um leve tom roxo…

    Quanto à determinação da espécie, há “muita confusão nessa área”. Harri Lorenzi discorda, mas diz que A. H. Gentry considera a Tabebuia avellanedae da mesma espécie que a Tabebuia Impetiginosa. E na quarta edição do volume 1 de sua “Árvores Brasileiras”, apresenta folhas da heptaphyla e da avellanedae que são iguais, diferindo apenas pelo número de folíolos (5 e 7). Mas a foto que apresentei da folha do Ipê Rosa, ou Roxo, tem 7 folíolos, mas no mesmo pé, a quase totalidade das folhas têm 5 folíolos, o que parece indicar que penta e hepta são apenas variedades da mesma espécie. Interessante que numa edição anterior do mesmo volume 1 Lorenzi apresentara uma avellanedae com folhas sensivelmente diferentes das folhas da heptaphyla (nessa edição anterior, as folhas das avellanedae têm uma razão maior comprimento/largura).

    Acho, assim, que a discussão está aberta. Precisamos de mais fatos e mais argumentos para chegar a uma conclusão “científica”. Nesse sentido, a sua observação é preciosa; e seria ótimo se você pudesse mandar fotos da “sua” Tabebuia… (meu e-mail: valmar@top.com.br ).

  3. Vinicius Says:

    É verdade, vejo muita variação nas nomenclaturas.

    Vou fotografar um Ipê de floração idêntica a este das suas fotos, porém com folhas aparentemente um pouco diferentes. Não deve estar mais florido (estava espetacular há umas 2 semanas), então vou esperar ficar bem folhoso pra fotografá-lo. Já os rosas (que acredito serem T. pentaphylla – ??) daqui ainda estão intactos, totalmente folhosos.

    PS: também sempre me perguntei de onde tiraram chamar esses ipês de roxos… são MUITO rosas, rsrs!
    _____
    do blog:
    Talvez o pessoal esteja chamando o Jacarandá Mimoso (que dá florações magníficas, também) de Ipê Roxo. A flor desse (e de outros) Jacarandá é realmente roxa.
    Ficaremos aguardando as fotos mencionadas…

  4. Vinicius Says:

    Essa confusão com o Jacarandá Mimoso (também entre minhas espécies preferidas, andei plantando mudas dele e do Ipê Rosa no campus da universidade semana passada) eu nunca vi… realmente, o Jacarandá floresce num roxo intenso, quase azul.

    O que vejo muito é chamarem este ipê de rosa:

    e este aqui de roxo:
    http://farm4.static.flickr.com/3141/2572007108_9e34edde5f.jpg?v=0

  5. OSWALDO DE OLIVEIRA Says:

    Olá amigos, poderiam nos indicar onde conseguir mudas do ipê de sete folhas, seja roxo ou rosa? Somos uma ONG recém fundada. Visitem o nosso site. A musiquinha que toca ao fundo é belíssima.
    Muito obrigado. Ass. pela ONG: Oswaldo. Telefone (02121 2743-0494) no máximo até 09:00 todos os dias. Muito obrigado. visitem o nosso site e deixem na página “nosso contato” a sua mensagem. Obrigado

  6. Biosfera Says:

    Amamos o blog, e torcemos para que a beleza verde de Campo Grande não suma com o “des-envolvimento”.
    Já perdeu o lugar de segunda capital mais arborizada do país, o calor está cada vez maior!
    Visite nosso blog http://www.biosferams.blogspot.com/ e leia nossa homenagem ao Cerrado sul matogrossense.
    _____
    do blog:
    Obrigado, pessoal! E vamos lá visitar o Biosfera MS…

  7. Diego Pedrosa Says:

    Olá, sou estudante de Biologia da UFRJ e apaixonado por ipês.
    Em minha visão há 3 espécies mais comuns de ipê roxo aqui pelo Rio: Tabebuia heptaphylla, Tabebuia avellanedae, Tabebuia impetiginosa
    No campus do Fundão – UFRJ tenho tirado fotos da floração de alguns.
    Estas fotos que vc postou creio que seja mesmo o Tabebuia avellanedae. Apesar dele ter suas inflorescências em formato de bola como o impetiginosa, a cor é mais pro lilás, enquanto o impetiginosa é mais pra um fucsia. Além de que o avellanedae é uma espécie que cresce bem mais e tem uma copa mais densa do que do impetiginosa.
    O heptaphylla é de fácil identificação.
    Tenho algumas fotos no meu orkut, mais pra frente posto outras que ando tirando: http://www.orkut.com.br/Main#Album?uid=7196555720781689730&aid=1213813872
    _____
    do blog:

    Obrigado pelas informações, Diego! O que sinto falta nos livros e estudos sobre árvores, é de fotos mais detalhadas das folhas, das flores e dos frutos. Vou lá ver o seu álbum…

  8. Fabiano Says:

    Olá meu ipê-rosa igual ao das fotos está sendo atacado por cupins…noto em sua casca trilhas de terra e quando as desmancho vejo cupins dentro…sabe como acabar com eles?
    _____
    do blog:

    Fabiano:

    1. Verifique se a “casa” dos cupins está na copa da árvore. Se estiver, derrube-a e em seguida jogue inseticida comum (baygon, detefon, etc) sobre os insetos.

    2. Se a “casa” não estiver na árvore, deve estar no chão, nas redondezas. Se houver um murundu, quebre-o com uma pá ou alavanca de ferro, inclusive a parte subterrânea. Depois encha os espaços com uma mistura de areia seca e peneirada (2 terços) e calcário (1 terço).

    3. Há colônias de cupins que fazem, não uma única “casa” no subsolo, mas sim, um grande número delas, que a gente só nota pelos “olheiros” em grande número, perto uns dos outros, visíveis quando os insetos saem em expedições; quando voltam, tornam a fechar as “bocas”. São olheiros de 1 cm de diâmetro, perfeitamento circulares, no mesmo nível do chão. O combate é o mesmo da hipótese anterior ( areia e calcário ). Espere o solo secar superficialmente e jogue um pouco da mistura em cada olheiro. A mistura vai infiltrar lentamente, tapando as saídas dos insetos. Ao tentar a desobstrução, os insetos farão com que a mistura se infiltre um pouco mais pelas galerias internas do cupinzeiro. Formigas e cupins têm grande dificuldade em lidar com area seca e limpa; e não convivem bem com calcário…

  9. Franklin Canela Says:

    Sim, é lindo o ipê-rosa. Tem esse lá da av. Mato Grosso, mas não esqueça daquele em frente a Caixa Econômica na Afonso Pena(o + lindo). No mês de setembro, ele ali na Afonso Pena, com sua copa florida, impedindo o excesso de velocidade.

  10. Kátia Cristina Says:

    Realmente,lindas imagens! Obg.

Os comentários estão desativados.


%d blogueiros gostam disto: