Campo Grande: Votos das Legendas

Os dados abaixo, referentes a cada partido, foram por nós obtidos junto ao T.R.E. de Mato Grosso do Sul. O formato de apresentação é responsabilidade do blog. Vale lembrar que a coligação Nelsinho reuniu 19 partidos; a coligação Teruel, 3 partidos; PMN, PSTU e PSOL concorreram sem coligação.

Análise:

Constata-se, com surpresa, que enquanto os votos para Nelsinho Trad representaram 71,41% dos 404.460 votos válidos da disputa majoritária, os votos dados aos candidatos a vereador que o apoiaram somam nada menos do que 84,13% dos 402.796 votos válidos da disputa proporcional!

Por outro lado, e na contramão, enquanto Teruel obteve 23,23% dos votos válidos para a majoritária, os candidatos a vereador de sua coligação obtiveram apenas 12,15% dos votos proporcionais! O mesmo fenômeno, atenuado em dois casos, ocorreu com os partidos que concorreram avulsos: PMN, 3,84 e 2,99%; PSOL, 0,77 e 0,53%; PSTU, 0,75 e 0,20%.

O quadro sugere que um grande número de eleitores de Teruel (cerca de 48%, ou mais de 44.000) não foi abordado por candidatos ou cabos eleitorais da sua coligação. O que ocorreu: Faltaram candidatos a vereador? Faltou dinheiro para a campanha? Faltou empenho? Suicídio eleitoral consciente?

Parece que é um pouco de cada coisa. Isto é muito ruim para a Democracia. Quase tivemos, nestas eleições, candidato majoritário único. Isto não lembra a antiga União Soviética, que a Direita daqui (parecida com a Esquerda que havia lá) tanto abomina?

Se faltou dinheiro para as esquerdas, sobrou para a Direita, que tinha candidatos e cabos eleitorais saindo pelo “ladrão”. Mas ela vai jurar que ganhou a eleição por causa dos “belos olhos” e da voz mansa do Nelsinho…

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: