“Roteiro para Daniel Dantas”

Transcrição parcial de artigo de HÉLIO FERNANDES no TRIBUNA DA IMPRENSA ONLINE de 30/07/08:

Um roteiro inteiro para Daniel Dantas

Bandoleiro da bandalheira, mercenário da moeda-podre

Daniel Dantas é o bandoleiro da moeda, da especulação, do desprezo pelas regras, pela ética, pela moralidade. Para ele importante é acumular dinheiro, embora afirme sempre que não tem o menor interesse por isso. É uma espécie de Howard Hughes provinciano que se julga aristocrata. Não sai de casa, não é visto publicamente, mas apesar disso aparece nas mais diversas colunas, com notas sempre “plantadas” a seu favor.

Seria impossível acompanhar suas aventuras, e portanto já alertamos o leitor que o que vou arrolar sobre ele não deve representar nem 1 por cento da sua desonestidade congênita e adquirida. Daniel Dantas pode até me processar, com a motivação: “O repórter que é geralmente considerado bem informado, se reduziu em mais de 99 por cento as minhas desonestidades, com isso só pretendeu me diminuir”.

1 – Começou a aparecer no governo Collor, espalhou até que havia sido convidado para ministro da Fazenda, não aceitou.

2 – Isso teria ocorrido (?) por volta de 1990, portanto mais de 18 anos.

3 – O próximo passo de “exaltação” do seu talento foi o de dizer “fui aluno do professor Mario Henrique Simonsen, que me convidou até para trabalhar com ele”. Mas teve o cuidado (Dantas é sempre cuidadoso, até nas falcatruas) de só espalhar essas coisas depois de Simonsen morrer. E não existem rastros dessa ligação.

4 – Baiano, foi muito ligado a ACM-Corleone, aí, nada a desmentir. A afinidade entre os dois vinha do total desinteresse pela credibilidade, por isso, a enorme amizade entre os dois.

5 – Por indicação de ACM-Corleone, Daniel Dantas fez sua entrada “triunfal” no mundo das altas negociatas, ao receber INFORMAÇÕES PRIVILEGIADAS sobre DOAÇÕES-PRIVATIZAÇÕES.

6 – FHC (e alguns economistas, hoje espantosamente ricos) é o seu ídolo e sua grande admiração.

7 – Com as “informações privilegiadas”, mandou comprar fábulas em ações que iam ser privatizadas, como Telebrás, Usiminas, Vale do Rio Doce, companhias de energia e bancos estaduais.

8 – Mas teve quase uma visão ou adivinhação, ao comprar toneladas de moedas que não valiam nada e que seriam utilizadas no “pagamento” das sólidas empresas estatais.

9 –
Essas, que se chamariam de “moedas podres”, foram utilizadas em 1 por cento (às vezes 2 ou 3 por cento) do valor de face, fizeram grandes milionários, entre eles e maior ganhador, Daniel Dantas.

10 – Um dos seus caminhos de enriquecimento passava por um economista de muito talento e despudor, que ganhou mais do que quase todos do Plano Real.

11 – Por sorte tinha um caso íntimo (não era novidade, todos tinham) com uma futura economista, popularmente conhecida como “Heleninha calça frouxa”.

12 – A CSN já havia enriquecido alguns, Dantas tomou isso como parâmetro. Comprou muito Siderbrás, títulos da Reforma Agrária que valiam 1, 2 ou 3 por cento, e trocou todos esses papéis miseráveis por empresas rendosas e estatais.

13 – Muita gente no governo FHC, principalmente os que estavam na Comissão de Desestatização, enriqueceram.

14 – Ganharam fortunas, mas sejamos justos: tinham que dividir.

15 – Sergio Motta serviu a FHC e outros “puristas” como apanhador de trigo em campo de centeio. Morreu muito moço, depois de fazer um negócio de centenas de milhões com o coronel Golbery. Negócio vetado pelo ministro Aureliano Chaves, que me deu o furo e me autorizou a publicar, citando o nome dele.

16 – Com esse dinheiro todo, fundou o Opportunity, existem dúvidas sobre o parceiro com quem se desentendeu.

17 – Dizem que foi expulso, outros que recebeu 70 milhões para sair.

18 – A privatização da Telesp permitiu que Dantas atraísse a Telecom Italia, Vicunha (do então bandoleiro pobre Steinbruch, hoje mais rico do que Dantas) até a Organização Globo.

19 – A Globo, muito ENDIVIDADA pelo alto custo do Projac, sofreu baque ainda maior com a VALORIZAÇÃO do dólar a partir de 19 de janeiro de 1999. Esse ENDIVIDAMENTO chegou a 5 BILHÕES de dólares, assustando os sócios.

20 – Mas a desvalorização desse dólar e a simpatia e quase amor do governo Lula transformaram o passivo em quase ativo.

PS – Ainda há muito a contar como a ligação ESPÚRIA de Dantas com os Fundos Previ (Banco do Brasil), Petros (Petrobras) e Funcef (Caixa Econômica). Como Dantas é moço, dá tempo para ir contando.

Anúncios

Uma resposta to ““Roteiro para Daniel Dantas””

  1. sândalo Says:

    oi cara!
    beleza.
    dei uma olhada no blog, bom, pra começar tem plantas e informações sobre o cotidiano “politico e suas relações”, massa… e muitas coisas que acho de muita importância no dia a dia… acho que entrei no seu blog uns meses atrás….
    voltarei aqui!
    muito bom mesmo!
    t+ brou
    parabéns.

Comentários encerrados.


%d blogueiros gostam disto: