Mau Exemplo Municipal

O Centro de Convenções Albano Franco está lá, há uma década ou mais, e nunca o Poder Público se interessou em efetivar melhorias nas redondezas. Mas agora, talvez por coincidência, pouco antes da inauguração de um restaurante “classe dourada”, do outro lado da avenida, a Prefeitura promoveu um alargamento localizado do piso asfáltico, de modo a propiciar aos campograndenses que circulam por ali o que parece ser uma pista de estacionamento.

Digo “parece” porque na verdade não deve ser uma pista de estacionamento, uma vez que em toda a sua extensão o meio-fio foi pintado de amarelo vivo, ou seja, indicando, pelas convenções de trânsito, que ali é proibido estacionar. Assim, se um cidadão qualquer aventurar-se a ali parar o carro por 5 minutos, poderá aparecer um “amarelinho” para multá-lo. A imagem abaixo esclarece melhor o assunto.

Estacionamento

Mas talvez haja uma outra explicação. Deixando de lado a convenção estatuída pelo Conselho Nacional de Trânsito, substituindo-a pela famosa “Lei de Gerson”, o paradoxo de existir um estacionamento-onde-não-se-pode-estacionar sugere que essa proibição só alcança os mortais comuns, e não os eventuais freqüentadores do restaurante, para os quais a pista estaria liberada e reservada.

Com tudo isso, alguém poderia pensar em clientelismo, ou seja, na hipótese do Executivo Municipal haver utilizado serviços, materiais e máquinas públicas para, desfigurando o traçado de uma avenida, privilegiar um, e apenas um, empreendimento privado em particular. Coisa que em tese contraria uma porção de Leis.

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: